A arrogância dos intelectuais e a sabedoria popular - Revista Oeste

Edição da semana

Em 1 out 2020, 19:50

A arrogância dos intelectuais e a sabedoria popular

1 out 2020, 19:50

Intelectuais sempre encontram bodes expiatórios para levar a culpa por seus fracassos

Estátua com o tema pensador | Fonte: Pixabay

“Se um engenheiro projetar uma ponte de forma equivocada, ela não fica de pé. Se um intelectual defender uma ideologia nefasta, ele sempre pode encontrar bodes expiatórios para transferir a responsabilidade pelos fracassos do experimento. ‘Deturparam Marx’, dizem os crentes insistentes a cada nova desgraça marxista”, analisa Rodrigo Constantino em sua coluna publicada na edição 27 da Revista Oeste.

À luz dos ensinamentos do pensador Thomas Sowell, o colunista discorre sobre as diferenças entre os intelectuais e a sociedade e nos lembra que os primeiros “ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja”.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Inteligência e sabedoria são coisas totalmente diferentes! Tem muito inteligente por aí que só faz merdha!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês