Ditadura e AI-5 estão de volta ao Brasil - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 24 jul 2020, 22:12

A ditadura e o AI-5 estão de volta ao Brasil

24 jul 2020, 22:12

É o que lamentam internautas

ditadura e ai-5 - stf

Foto: CANVA

“Ditadura do STF. A realidade é essa. Acordem”. Com essas três frases, a analista política e colunista da Revista Oeste Ana Paula Henkel se posicionou contra o desdobramento de decisão tomada por Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal. Sob ameaça de multa, Facebook e Twitter bloquearam hoje perfis de 17 investigados no criticado inquérito das fake news.

Leia mais: “‘Censura’ é a palavra da vez nas redes

Ana Paula não é, entretanto, a única pessoa a se referir à decisão de Moraes como indicativo de que a ditadura volta a rondar o país. Por meio de postagens no Twitter, milhares de internautas estão indo pela mesma linha de raciocínio. O termo aparece, por exemplo, na lista de assuntos mais comentados entre usuários da plataforma no Brasil na noite desta sexta-feira, 24.

Entre os internautas falando em ditadura está Paulo Ganime. Deputado federal pelo Novo do Rio de Janeiro, ele não falou diretamente do STF, mas registrou a sua crítica de forma indireta. Nesse sentido, citou um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (ABL). “‘A pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela, não há a quem recorrer’. Ruy Barbosa disse isso há mais de 100 anos, mas ela nunca foi tão atual como hoje”, destacou o parlamentar.

“Impedir de falar é coisa de ditadura”

Apresentador da rádio Jovem Pan, Paulo Mathias não mencionou nenhum escritor, mas colocou o seu ponto de vista a repeito da situação. Conforme sinaliza, o STF não respeitou os valores democráticos. “Investigar é algo comum num Estado Democrático de Direito. Impedir de falar é coisa de ditadura. Simples assim”.

AI-5

Além de “ditadura”, outra palavra que faz referência a período não democrático ganhou vez no Twitter nesta noite. Isso porque internautas denunciam que a decisão de Moraes se assemelha ao Ato Institucional número 5, o AI-5, instrumento implementado pela ditadura militar brasileira em 1968. Fora as ironias feitas por alguns internautas, há quem reclame da situação — como o deputado federal Filipe Barros (PSL-PR).

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

23 Comentários

  1. Impeachment é a única solução contra maus ministros do STF. Falar que não adianta pois o Senado irá sempre proteger o STF é simplista demais. O povo e a imprensa séria tem que pressionar cada um dos senadores, ameaçando não votar neles mais

    Responder
    • Moro ficou parado frente aos abusos do STF. Agora, André Mendonça repete o comportamento. Pra quê serve um ministro da jUSTIÇA?

      Responder
      • Deveria se fosse comprometido com a constituição, mas co n o não é para nada serve.

        Responder
        • Os três poderes da República devem ser independentes, trabalharem em harmonia com manda a nossa constituição. Hoje o Judiciário e o Legislativo governam o país na mão grande e o executivo é apenas um detalhe, assiste de camarote e fica quieto esperando que o povo se manifeste, o povo elegeu o atual presidente pelos compromissos que assumiu de por ordem no galinheiro, mas não consegue porque tem o rabo grosso. Nós povo vamos ter que nos manifestar e dizer aos três poderes da República que assim não dá. Queremos que cada um faça o seu trabalho como manda a constituição. Quem está
          errando que seja substituido, quem está errando que seja substituído, quem está abusando do deu cargo que seja punido. Tudo dentro do que resa na constituição Federal. Mas isso tem que ser feito já, imediatamente, não podemod ir empurrando com a barriga. O povo não aguenta mais.
          Tenham vergonha na cara senhores!

          Responder
    • Gozado a impressa tradicional não fala nada… eram todas a favor da ditadura…

      Responder
    • A solução já está posta, o neto do ex presidente Figueiredo mostrou a solução, nós brasileiros é que não percebemos. Na minha humilde opinião uma solução brilhante e dentro da lei. Os pilares das forças armadas não podem ser quebrados, legalidade, disciplina e hierarquia. O presidente Bolsonaro sabe das consequências de um fechamento de STF e congresso. Eles querem justamente isto para usarem a narrativa do ” Eu não disse que ele era um ditador”, STF e congresso estão esticando a corda ao máximo forçando o presidente para que ele tome esta decisão. Tenham só um pouco mais de paciência. As coisas vão acontecer quando tiver em seu momento ideal.

      Responder
    • Imprensa séria deve ser 10%. O resto está muda e inclusive apoiando.

      Responder
  2. Impeachment!

    Responder
    • Impeachment dos onze!
      Impeachment dos onze!
      Impeachment dos onze!
      Impeachment dos onze!
      Impeachment dos onze!

      Responder
  3. O Supremo restaura o AÍ-5 com o beneplácito do senado e com o aplauso da grande mídia é dos partidos de esquerda

    Responder
  4. O presidente, apoiado pela maioria da população, deveria sim eliminar e recompor um novo stf. O Brasil e sua população imploram por isso. Com todo respeito que tenho pelo Presidente Bolsonaro, essa é uma briga que tem que ele tem que comprar sim, pois o congresso está na mão do STF e vice-versa.

    Responder
  5. O Brasil precisa ser destravado e para isto temos que mudar a presidência da Câmara e do Senado e assim, mudar o STF com o impeachment de vários dos abutres de toga. Chega destes pilantras jogarem contra o país.

    Responder
    • Abaixo a ditadura. Fora os onze sem segredos.

      Responder
  6. Também nós, os eleitores, devemos mudar nossas posturas.Vivemos o paradoxo brasileiro(como jabuticaba): somos bons eleitores de políticos ruins. A grande reforma é a eleitoral que poderá sim cristalizar todas as mudanças que uma política verdadeira requer. Com os modelos atuais nenhuma mudança será factível nem sequer objeto de esperança ou expectativas.Continuamos a eleger as oligarquias que se perpetuam com seus filhos, netos, esposas e até ex-esposas.Continuamos a eleger “Mamães Falei” e Carteiros Reaças” , atores de filmes pornôs e outros tantos palhaços travestidos de parlamentares que zombam de nossas caras gastando nossos impostos com mordomias sem fim. Nem o Presidente, nem a “Justiça” nem esse Congresso que aí estão operarão mudanças que os atinjam. Essa é a verdade crua. Nós. Somente a nós cabe a ferramenta da mudança: o Voto. Inclusive o voto contra. Contra todos que lá estão e se calam ou são omissos.A esperança é a renovação total pelo voto nas próximas eleições, começando pelas municipais.Depois no parlamento, colocar todos que lá estão para fora: os que erraram e os que se omitiram.Os coniventes e os recorrentes.Será uma lição pedagógica histórica e quem sabem escrever um novo começo para ter um novo fim.

    Responder
    • Exato, os agentes de mudança somos nós. Ficarmos reclamando e recompormos os quadros com políticos de partidos de esquerda é entregar as chaves, o segredo e o próprio cofre nas mãos dos marginais!

      Responder
    • Com esse “povinho de Pindorama” , ignorante, bestificado, que só conhece a lei de Gérson, mudança só para pior. Nosso povo já fez a opção pela mediocridade, aliás, acho que a mediocridade está na genética de todos os países de colonização ibérica.

      Responder
  7. “AISTF5”?
    Enquanto formos comandados por criminosos nos poderes legislativo e no judiciário, nada poderá ser feito contra esse compadrio similar aos das GANG’S.

    Responder
  8. Quando o Tofolli não passou no concurso para juíz é por que não tinha condições intelectuais. E isso se confirma ao assumir o stf, acha que pode tudo, mesmo atropelando a constituição. Até o a mais humildes sabe que isso que eles estão fazendo é um desrespeito a nossa constituição. Alguma dúvida.

    Responder
  9. Impeachment desses urubus de toga.

    Responder
  10. O STF se tornou o último estágio das tentativas de retirar do poder o governo legitimamente instituído pela maioria dos eleitores do Brasil, e fazem isso por puro desespero, por terem perdido o controle do País de maneira que, autoritariamente, tentam retomá-lo por vias não democráticas, num perfeito conluio entre Parlamento, STF, imprensa, artistas top, professores doutrinadores e demais corruptos e marginais que se alimentavam do trabalho produtivo dos demais brasileiros.
    Esse movimento aberto, declarado e sem qualquer pudor por parte da esquerda, vem demonstrando ao povo brasileiro o quão justas são as mudanças requeridas e solicitadas por todos nós, inclusive e principalmente por esses que se expõem via suas próprias redes sociais, se tornando porta-vozes do povo que elegeu Bolsonaro, motivo óbvio por tentarem formalmente, acintosamente e arbitrariamente calar.
    Não esqueçamos que foram mais de 30 anos de doutrinação nas Academias, por onde andaram os principais players que ora sabotam a democracia do Brasil, quase que unanimemente da área de Humanas.
    Nos encontramos num período de batalhas de uma guerra antiga, interrompemos o avaço progressista (comunismo com novos trajes), onde eles são limitados, desonestos por natureza e essencialmente inescrupulosos, com o agravo de que acreditam poder sê-los, haja vista um dos princípios da própria filosofia que abraçaram, e provavelmente desde a infância/adolescência, na qual os meios justificam os fins!
    A guerra é feia, não devemos esmorecer!

    Responder
  11. Existe um temor velado do Senado quanto aos ministros do STF, isso é notório. Talvez a melhor solução é novamente o povo, digo àqueles que realmente querem um Brasil livre irem às ruas para mostrarem a insatisfação junto ao Senado quanto à essa arbitrariedade mórbida.

    Responder
  12. Alguém vai ter que fazer alguma coisa.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês