A esquerda quer cancelar você - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 22 jul 2020, 12:30

A esquerda quer cancelar você

22 jul 2020, 12:30

Quem não se adequa ao script cada vez mais rigoroso do politicamente correto é violentamente atacado

cancelado - fúria da esquerda - bruno garschagen

Foto: REPRODUÇÃO/TECHTUDO

A cultura do cancelamento está envenenando as relações sociais e impedindo o franco debate público. Quem questiona os ditames esquerdistas é achincalhado nas redes sociais, nas universidades e até mesmo nas empresas, com risco de perder o emprego. Trata-se de uma violência às liberdades individuais pelas quais tanto lutaram as nações do oeste, o Ocidente, cujos valores se fundamentam nas tradições judaico-cristãs.

Dada a relevância do tema, abrimos para os visitantes do site esse artigo exclusivo para assinantes da Revista Oeste, “A tirania da cultura do cancelamento”. A autor é o editor-chefe da revista Spiked, Brendan O’Neill. Mais importante revista digital conservadora do Reino Unido, a Spiked foi fundada em 2001 e já criou uma sólida reputação editorial nas áreas de política, cultura e sociedade. No Brasil, Oeste é a única publicação com licença para utilizar conteúdos da Spiked.

Não deixe de ler o artigo “A tirania da cultura do cancelamento”

 

 

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Deixe estar, os perdedores serão eles, pq o mundo está acordando para muitas coisas e os brasileiros, do qual faço parte com orgulho, estamos na vanguarda pq apoiamos todas as pautas q destroem a esquerda. Com BOLSONARO estamos dando exemplo ao mundo. A recusa dos sites esquerdistas criará uma massa crítica incontrolável de novos sites conversadores. Não existe opção para a humanidade com o marxismo e temos 103 anos de história para provar. PERMANEÇAMOS UNIDOS, ASSIM VENCEREMOS!

    Responder
  2. Tenho certeza que se a Oeste existisse em 2007 teria reportado a Lectio Magistralis do Papa Ratzinger em Ratisbona, antecipadora dos tempos e ditada por um dos maiores filosofos contemporaneos.
    Ele e´Sovranista e alertava para o perigo das falsas migrações !
    O ultimo navio da ¨ Ong¨(?!?) Ocean Viking , de algumas semanas atras , transportava :
    60 pessoas do Bangladesh 11 do Marocco 46 do Pakistan 17 do Egito 16 da Tunisia 11 da Eritrea 07 do Sudan 06 do Ghana 03 do Camerum 01 costa do Marfim 01 do Mali 01 da Nigeria . A razão utilizada para acolhe los pelo governo e um Papa ( não eleitos !) foi ¨porque´ estariam fugindo de uma guerra .
    Estariam eles fugindo de alguma guerra??? Qual destes Paises esta´em guerra??
    Ratzinger foi ¨substituido ¨ por um progressista- la´colocado propositada mente – porque´tambem defensor dos valores de um Capitalismo Umanista ( que estava se modificando depois da caida do Muro de Berlin ) e – como diz o Filosofo Fusaro -¨¨ hoje objeto de tentativa de destruição por parte da Finança Especulativa que quer golpear as liberdades individuais de expressão (( objeto deste articulo da Redação ! Parabens!)) e que quer instaurar uma ordem estruturalmente Orwelliana , portanto não mais democratica e que suspende o normal funcionamento da mesma democracia e que pretende se legitimar em nome desta ¨crise¨!¨¨
    O Brasil,afortunadamente, tem um potencial antidoto , que saiba preservalo!!

    Responder
    • Não se deve calar diante da incoerência hipócrita esquerdista.
      O primeiro passo é assumir posição, argumentar e não ceder espaço de fala.
      Somos maioria….

      Responder
  3. Os aficionados do politicamente correto são em ampla maioria o pessoal de Humanas, avessos ou inábeis na transformação de recursos naturais em produtos úteis à sociedade, que significa a transformação da energia utilizada no referido processo em recursos tangíveis para a manutenção do nosso sistema de trocas, movimentação do mercado que comercializa bens de consumo.
    Portanto, os politicamente corretos, têm uma relação de dependência ad extremun conosco, a parcela que cuida da parte objetiva da vida; enquanto a recíproca não é verdadeira.
    Dito isso, já que não conseguem se adequar à vida e, além de tudo, pretendem ditar as normas e regras comportamentais, não nos resta mais nada a fazer a não ser de continuarmos enfrentando essa ameaça retrógrada e cerceadora de nossa liberdade, em todos os sentidos!

    Responder
    • Sensacional e precisamente cirúrgica sua observação sobre esse tipo de pessoas!

      Responder
  4. Eles querem cancelar todos que não são da sua ideologia, são totalmente dementes .

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês