-Publicidade-

A França pode viver sem a soja brasileira?

Presidente francês tornou público seu interesse em cultivar a commodity cada vez mais em solo europeu

Presidente francês tornou público seu interesse em cultivar a commodity cada vez mais em solo europeu

Alta - dólar - exportações - soja
União Europeia importa cerca de 13 milhões de toneladas de soja por ano, dos quais uns 5 milhões vão para a França | Foto: Александр Пономарев/Pixabay

O presidente da França, Emmanuel Macron, voltou a criticar abertamente o Brasil. Na terça-feira 12, ele foi ao Twitter para vender a ideia de que importar soja brasileira resulta em compactuar com suposto desmatamento da floresta amazônica.

“Continuar a depender da soja brasileira seria endossar o desmatamento da Amazônia”, publicou Macron em seu perfil na rede social. Com essa acusação, ele tornou público o interesse em fazer com que a commodity seja cultivada cada vez mais em solo europeu. “Somos consistentes com as nossas ambições ecológicas, lutamos para produzir soja na Europa”, afirmou o presidente francês.

Um texto de Evaristo de Miranda*

Fiz meus estudos de agronomia na França, mestrado e doutorado. Conheço razoavelmente e in loco sua agropecuária. Já visitei plantios de soja na França e na Europa (vale do Danúbio e Croácia, principalmente). Três esclarecimentos são pertinentes sobre a provocação do presidente Macron sobre a soja e a Amazônia.

1 – Hoje cerca de 10% da soja brasileira é produzida nas lindes do bioma Amazônia. Como já disse a ABIOVE, toda ela está desvinculada do processo de desmatamento desde 2008.

2 – Em números redondos, a União Europeia importa cerca de 13 milhões de toneladas de soja por ano, dos quais uns 5 milhões vão para França. Desse total, cerca de 87% destina-se à alimentação de animais: aves e ovos (50%), suínos (24%), vacas leiteiras (16%), bezerros (6%) e peixes, sobretudo salmão (4%). Mais de 90% da soja importada dos EUA, Brasil e Argentina é OGM (Organismo Geneticamente Modificado). A França consome cerca de 160 kg de soja por segundo.

Leia mais: “Como vai o fogo pelo mundo e na Amazônia?”

3 – A produção atual de soja da França é cerca de 200.000 t/ano, 5% de sua demanda. Plantada sobretudo na região Sudoeste, cerca de ¾ dessa soja é irrigada e custa caro. O aumento do preço dos adubos nitrogenados levou muitos produtores a trocarem o milho irrigado pela soja. A produtividade fora das áreas irrigadas é baixa. No total, são cerca de 40.000 ha. Seria necessário plantar mais uns 2 milhões de hectares de soja na França para a autossuficiência. Quem cederá 2 milhões de hectares para a soja? Os cereais, a beterraba ou a fruticultura? Affaire à suivre, sem muita preocupação ou urgência.

*Evaristo de Miranda, doutor em ecologia e chefe-geral da Embrapa Territorial

-Publicidade-
Envie-nos a sua opinião, sugestão ou crítica! Fale conosco
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês