Vírus de esquerda, vírus de direita - Revista Oeste

Edição da semana

Em 31 mar 2020, 16:25

Vírus de esquerda, vírus de direita

31 mar 2020, 16:25

Foto: Gerd Altmann

Está demonstrado, mais uma vez, que coisas que nunca aconteceram antes podem acontecer a qualquer momento – como a gente acaba de ver agora, com a criação de um vírus de esquerda e de um vírus de direita. Melhor ainda: é o mesmo vírus, mas, segundo quem faz o sequenciamento genético do bicho, ele fica de um jeito ou de outro. Um chimpanzé mais esperto, desses que aprendem a mexer com computador, conseguiria achar em 30 segundos a diferença entre os dois. O coronavírus de esquerda é bravo. Tem de ser tratado com “isolamento horizontal” (ninguém sai de casa, fecha tudo, parem as máquinas) e é um militante anti-Bolsonaro; se receber os incentivos corretos, pode ajudar a derrubar o presidente, na eleição de 2022 ou mesmo antes. O coronavírus de direita é manso. Pode ser tratado com “isolamento vertical” e deixa as pessoas saírem de casa para trabalhar e cuidar de suas próprias vidas da maneira que cada um julgar mais adequada para si próprio.

O coronavírus de esquerda, que também é cultivado na classe liberal-intelectual-civilizada, infecta muito mais gente que o da direita – pelo menos é o que garantem as listas de casos, atualizadas a cada segundo com a ajuda de marcadores digitais em “tempo real”. Mata bem mais, também, segundo os mesmos relógios. Mata cidadãos que morrem de outras doenças, como enfisema, enfarte ou leucemia. E promete ser pior que dez bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki somadas, só no Brasil – onde há “cenários”, “modelos matemáticos” e “projeções de computador” indicando a “possibilidade” de “até 2 milhões de mortos”. Essa cifra será conseguida se o plano de “genocídio” do governo Bolsonaro, que está batalhando por um relaxamento da quarentena, for aplicado em toda a sua extensão.

O coronavírus de direita, para não encompridar muito a conversa, sempre apresenta números menos ambiciosos em termos de contágio, de mortes e de estimativas de desgraças que ainda não aconteceram. Além disso, pode ser sujeito à cura por medicamentos e agentes químicos – hipótese dada como cientificamente impossível pelos militantes do coronavírus de esquerda. O coronavírus de direita, enfim, só existe nas pesquisas científicas que procuram a sua cura; não tem existência fora das teorias e dos laboratórios. No noticiário – e, portanto, naquilo que passa por realidade oficial “aceita pela Organização Mundial de Saúde” – só existe um coronavírus: o de esquerda.

Levando-se em conta que a OMS está sob a direção de um político que não é sequer formado em medicina, integra uma das piores ditaduras da África e foi posto no cargo pelo lobby que a China exerce para ganhar votos nos países africanos da ONU, não há muito o que dizer, aí, em matéria de credibilidade. O coronavírus de esquerda, naturalmente, é 100% OMS – seus defensores no Brasil, por sinal, citam o organismo, o tempo todo, como o árbitro mundial supremo da epidemia. Nos meios de comunicação, o habitat preferido do coronavírus de esquerda por aqui, a coisa não é melhor. Jornalistas não sabem o que é um Melhoral – o que vão saber sobre uma epidemia dessas? Na falta de conhecimento, o que aparece é a militância.

Ainda bem que o vírus, no fim das contas, não é de partido nenhum. Ele é apenas o que está sendo, e será o que vai ser – no mundo dos fatos, e não no mundo dos desejos.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

28 Comentários

  1. Parabéns. Lúcido como sempre e direto ao ponto.
    Vírus comunista versus Vírus capitalista.

    Responder
    • Sempre excelente comentário, Guzzo, Parabéns!

      Responder
      • Excelente, lúcido…genial!

        Responder
    • Há uma profunda divisão quando se trata de honestidade intelectual e desonestidade profissional quando comparamos Guzzo e os coleguinhas. Privilégio. Bom dia!

      Responder
      • * se

        Responder
    • Excelente, lúcido…genial!

      Responder
  2. Eu tô achando que o vírus de Direita irá “vencer” .

    Responder
  3. Como sempre , perfeito!

    Responder
  4. Uma simples leitura do Guzzo já é um manjar. Jogando luz sobre um tema atual come este, então…

    Responder
  5. Prefiro ser quintal de americano que ser sala de xines (x incógnita)

    Responder
  6. Parabéns…perfeito!!!

    Responder
  7. Guzzo é o melhor colunista do Brasil: escreve bem e é claro.

    Responder
    • Comunismo é o que atrapalha colunistas do Brasil.

      Responder
  8. Parabéns, pelo menos ainda existe alguma sobriedade na imprensa brasileira!

    Responder
    • Obrigada por nós agraciar com esta boa leitura. Nada como bom humor na medida certa.

      Responder
  9. 👏

    Responder
  10. Excelente, não há o que comentar !

    Responder
    • Perfeito! Até que enfim um canal de comunicação que fala a nossa língua!
      Parabéns!

      Responder
  11. Perfeito!

    Responder
  12. hahahahahahahaha muito bom!

    Responder
  13. O Guzzo colocou em palavras meus pensamentos. O Coronavírus da Esquerda é Resistência…

    Responder
    • O Guzzo realmente não é ANTA.
      Parabéns.

      Responder
  14. Excelente!

    Responder
  15. Caro Mestre Guzzo! Que satisfação é lê-lo. Longa vida e sucesso à Oeste!

    Responder
  16. Perfeito Guzzo: é 18 vezes mais provável alguém morrer por pneumonia comum (80% idosos) no Brasil do que pelo tal vírus do Partido Comunista Chinês. Uma pandemia terrorista de desinformação que só espalha pânico para paralisar os governos de direita no mundo e inviabilizar a reeleição dos mandatários.

    Responder
  17. J.R.Guzzo
    Parabéns pelos seus comentários.Já lia suas crônicas quando estava na revista Veja e no Metrópoles. Esse “tema” aparentemente fictício de hoje, pode ter mais realidade do que ficção… Você é um dos últimos moicanos da mídia…

    Responder
  18. PERFEITO!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês