'Confiança na Justiça', diz Moisés na esperança de voltar ao poder de SC

Edição da semana

Em Em 25 out 2020, 09:40

Afastado do poder, governador fala em ‘confiança na Justiça’

25 out 2020, 09:40

Carlos Moisés é alvo de processo de impeachment em Santa Catarina

carlos moisés - santa catarina - impeachment de governador - confiança na justiça

Alvo de processo de impeachment, Carlos Moisés deixa provisoriamente o governo de Santa Catarina | Foto: Reprodução/Twitter

Mais de 20 horas após o Tribunal Especial de Julgamento determinar seu afastamento provisório do cargo, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), se manifestou. Em postagens divulgadas na noite de ontem no Twitter, ele demonstrou confiança em reverter o processo de impeachment e enalteceu seus feitos à frente do Estado.

Leia mais: “Aras também é contra retorno de Witzel ao governo do Rio”

Moisés fez questão de declarar que entende que o processo de impeachment contra ele é político, mas que há questões jurídicas a serem analisadas. Nesse sentido, demonstrou confiança no arquivamento da ação que a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) move em decorrência de aumento salarial a procuradores sem aval do Legislativo.

Com o tribunal do impeachment sendo misto — composto por cinco deputados estaduais, cinco desembargadores e o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) —, o político do PSL aproveitou para elogiar, de modo geral, os magistrados. Entre os parlamentares, Oeste já demonstrou que ele está abandonado politicamente.

“Tenho confiança na Justiça e que o Poder Judiciário Catarinense arquivará definitivamente este pedido de impeachment

“Tenho confiança na Justiça e que o Poder Judiciário Catarinense arquivará definitivamente este pedido de impeachment sem justa causa. Os desembargadores do tribunal misto fizeram essa análise de forma muito bem fundamentada juridicamente e absolutamente independente”, publicou Moisés, que deixa a função por 180 dias. Período em que Santa Catarina será governado por Daniela Reinehr (sem partido).

Transição

Carlos Moisés ainda elogiou a sua gestão à frente do Poder Executivo local. Entre outros pontos, colocou-se como responsável por investimentos e economia à máquina pública. “Há muitos investimentos importantes a serem feitos com recursos próprios do governo, fruto de valor economizado com a reforma administrativa e revisões de contratos que fizemos”, afirmou.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Ele está coberto de razão. A justiça brasileira só acoberta ladrões do colarinho branco, políticos safados e bandidos de alta periculosidade.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês