A mando de Moraes, PF faz buscas em associação dos produtores de soja

Ministro ordenou bloqueio de contas e quer a identificação de transferências acima de R$ 10 mil
-Publicidade-
Antonio Galvan, presidente da Aprosoja Brasil, é alvo do inquérito que apura antimocráticos <i>(à dir.)</i> e Ilson Redivo, presidente do Sindicato Rural de Sinop-MT | Foto: Reprodução/NA
Antonio Galvan, presidente da Aprosoja Brasil, é alvo do inquérito que apura antimocráticos (à dir.) e Ilson Redivo, presidente do Sindicato Rural de Sinop-MT | Foto: Reprodução/NA

A sede da Associação Brasileira de Produtores de Soja e Milho (Aprosoja Brasil) e sua filial no Estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT) foram alvos de mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira, 6. A determinação partiu do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, que também mandou bloquear as contas das entidades até quarta-feira 8. Ele ordenou ainda que sejam identificados e informados os valores acima de R$ 10 mil transferidos a partir das contas bancárias dessas entidades para outras entidades ou terceiros, em quaisquer modalidades.

“Uma Pergunta para J. R. Guzzo: ‘Como é trabalhar sob censura?’”

Assim como a prisão do ex-policial militar Cássio Rodrigues Costa Souza, Moraes baseou-se em um parecer da subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, no processo que investiga a organização e o financiamento de atos contra as instituições democráticas. No caso das Aprosojas, Lindôra apontou um possível uso de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal.

-Publicidade-

Em nota, a Aprosoja Brasil, que reúne 16 entidades estaduais e 240 mil produtores de soja, informou que suas contas “seguem rigorosas regras de compliance“. Com isso, “não foi nem pode ser feita nenhuma movimentação irregular”.

Leia mais: “Produtores rurais fazem tratoraço em apoio ao presidente da Aprosoja Brasil”

Já a Aprosoja-MT e seus dirigentes garantem que “jamais financiaram, apoiaram ou convocaram a população para atos criminosos e violentos de protesto”. A associação afirma prezar “pelos preceitos legais e constitucionais, e já está disponibilizando toda a documentação solicitada, pois é a principal interessada no esclarecimento dos fatos.”

Íntegra da nota da Aprosoja Brasil:

“As contas da Aprosoja Brasil seguem rigorosas regras de compliance. Desta forma, não foi e nem pode ser feita nenhuma movimentação irregular nas contas da entidade, pois os gastos são utilizados estritamente com as atividades fim da Aprosoja Brasil.”

Nota de esclarecimento da Aprosoja-MT:

“Em relação à medida judicial cumprida nesta segunda-feira (6.9.2021), na sede da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT), a entidade esclarece que se trata de decisão nos autos do Inquérito 4879/DF, que apura a convocação da população, por meio das redes sociais, a praticar atos criminosos e violentos de protesto, às vésperas do feriado de 7.9.2021, durante uma suposta manifestação e greve de “caminhoneiros”.

A decisão determinou:

1) o bloqueio de saques das contas bancárias da Aprosoja-MT, até o dia 8.9.2021, quarta-feira;

2) sejam identificados e informados os valores transferidos a partir das contas bancárias dessa entidade para outras entidades ou terceiros, desde o dia 10.8.2021, a partir do patamar mínimo de R$ 10.000,00.

Aprosoja-MT e seus dirigentes esclarecem que jamais financiaram, apoiaram ou convocaram a população para atos criminosos e violentos de protesto, às vésperas do feriado de 7.9.2021, durante uma suposta manifestação e greve de “caminhoneiros”.

A entidade preza pelos preceitos legais e constitucionais, e já está disponibilizando toda a  documentação solicitada, pois é a principal interessada no esclarecimento dos fatos, já que nada tem a esconder da sociedade e principalmente dos seus associados.”

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro