Aumento no custo do frete preocupa produtores de arroz

Setor arrozeiro registrou queda no número de exportações em 2021
-Publicidade-
Aumento do custo do frete preocupa produtores de arroz
Aumento do custo do frete preocupa produtores de arroz | Foto: Agência Brasil/ Divulgação

Os altos custos dos fretes marítimos, ocasionados por problemas de transporte de produtos da Ásia para o Ocidente, congestionamentos e fechamentos temporários de terminais por conta da pandemia da covid-19, aumentaram o valor do serviço em cerca de 170% em 2021, chegando a 500% em alguns casos, impactando vários setores da economia, como o arrozeiro.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz), com base em dados do Ministério da Economia e da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), houve redução de 33% no desempenho das exportações no primeiro semestre.

No mesmo período, as exportações recuaram 41% e as importações cresceram 60% em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a junho, o país exportou cerca de 476 toneladas de arroz (base casca), ante 953 toneladas em igual período de 2020. Os principais destinos do produto brasileiro no primeiro semestre foram Peru, Holanda e Senegal.

-Publicidade-

“O alto valor do frete marítimo e a indisponibilidade de espaços nos navios acarretaram perdas de negócios internacionais no setor arrozeiro brasileiro”, afirmou o diretor de Assuntos Internacionais da Abiarroz, Gustavo Trevisan, ao Globo Rural.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.