Raízen fecha venda de etanol celulósico por 9 anos

Companhia também fez aquisição de empresa paraguaia por US$ 130 milhões
-Publicidade-
Usina da Raízen em Guariba, interior de São Paulo | Foto: Divulgação/Raízen
Usina da Raízen em Guariba, interior de São Paulo | Foto: Divulgação/Raízen

A Raízen, que se apresenta como a líder mundial em biocombustíveis, celebrou dois novos acordos para a venda de 460 milhões de litros de etanol celulósico, também conhecido pela sigla E2G, com entrega nos próximos nove anos. O produto tem como matéria-prima bagaço de culturas agrícolas, como palha de cana-de-açúcar, espiga de milho e palha de trigo.

Leia mais: “Brasil atinge dezena de recordes na produção de energia renovável”

Com o anúncio feito ao mercado nesta terça-feira, 10, a Raízen alcança aproximadamente 1 bilhão de litros, que serão produzidos em fábricas a serem instaladas nos parques de bioenergia da empresa.

-Publicidade-

Leia também: “Termoelétricas de biomassa podem fazer ofertas adicionais de energia”

Além disso, a companhia e sua controladora Raízen Energia também firmaram um contrato de compra que prevê a aquisição de 50% da Barcos y Rodados, empresa com sede no Paraguai. O valor do negócio é de US$ 130 milhões.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro