Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da vacina chinesa - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 23 out 2020, 19:30

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da vacina chinesa

23 out 2020, 19:30

Expectativa do Instituto Butantan é produzir 40 milhões de doses com a matéria-prima adquirida da Sinovac

coronavac, vacina, China, governo do estado de são paulo, joão doria, testes, coronavírus, covid-19

Coronavac: no Brasil, apenas São Paulo comprou | Foto: Governo do Estado de São Paulo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, na tarde desta sexta-feira, 23, a importação de 6 milhões de doses da vacina chinesa contra a covid-19 Coronavac, criada pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Em julho de 2020, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorizou a realização de testes da Coronavac em diferentes locais do Brasil. A vacina está na última etapa, o chamado ensaio clínico Fase III, e envolve 9 mil voluntários distribuídos entre os Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal. A autorização recebida hoje, por enquanto, é apenas para importação. A distribuição do imunizante depende ainda da autorização da Anvisa ao final dos testes.

Leia também: Coronavac: as perguntas ainda sem resposta sobre a vacina chinesa

Na decisão da Anvisa, a agência ressalta que “a utilização do produto ficará condicionada à obtenção de seu registro sanitário” e que é de responsabilidade do importador garantir a eficácia, segurança e qualidade do produto. Até dezembro, a expectativa do Butantan é produzir 40 milhões de doses com a matéria-prima adquirida da Sinovac.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 Comentários

  1. Tudo dominado! O Brasil vai levar décadas na faxina do petismo.

    Responder
  2. Pode aplicar tudo no Doria, no Lula, no Boulos, no Covas ..em quem mais defender a China!

    Responder
  3. Espero que as pessoas envolvidas com a autorização da vacina , também se responsabilizem caso quem tomar a referida vacina tenha algum efeito colateral. Pois não se faz vacina a toque de caixa. Que ainda não se mostrou segura e eficaz.

    Responder
  4. Virus chines, com várias acusações de ter sido intencional, e vacina chinesa criada em tempo recorde… Hellooo

    Responder
  5. A ideia desse movimento intenso, que Dória faz parte, é evidentemente um parceiro da China e não do Brasil, é a de arrecadar dinheiro para que a China pague seus investimentos aqui no País com o nosso próprio dinheiro da aquisição de seus produtos, i.e., é o Petrolão cuja entidade da vez agora é a própria China!
    Isso vem ocorrendo a céu aberto, com a forçação de barra por todos os corruptos, traidores e venais partidos e membros da esquerda com visibilidade pública.
    Nós, no frigir dos ovos, estaremos pagando para a Globo, Band, por exemplo, o que a China pôs de dinheiro nessas empresas.
    É mais uma investida para obtenção do domínio sobre nossas riquezas e mão-de-obra barata, desta feita sem guerrilha armada e/ou ditadura do proletariado!

    Responder
  6. TÁ NA HORA DO POVO VOLTAR ÀS RUAS PRA ACABAR COM ESTA PALHAÇADA!! Temos assuntos mais urgentes pra aprovar no Congresso e o Doria, o zé melancia, está desviando a atenção pra vaCHINA. TUDO POR DINHEIRO E NÃO POR VIDAS!

    Responder
  7. Gastando o dinheiro do contribuinte em compras sem comprovação de qualidade. Se não prestar devolve? Acho que o Covidão está chegando no Governo Federal.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês