Após pressão dos EUA, Huawei vai parar produção de chipsets

Edição da semana

Em 9 ago 2020, 18:00

Após pressão dos EUA, Huawei vai parar produção de chipsets

9 ago 2020, 18:00

Estados Unidos têm fechado o cerco contra a empresa alegando que ela faz espionagem para o governo chinês

Huawei

Foto: Divulgação/Huawei

Após o aumento da pressão dos Estados Unidos, a chinesa Huawei interromperá a fabricação de seus chipsets Kirin – componentes-chave de telefones celulares – no próximo mês.

A informação foi divulgada pela revista chinesa Caixin, neste sábado, 8.

Segundo a publicação, o presidente-executivo da Unidade de Negócios do Consumidor da Huawei, Richard Yu, disse que a pressão norte-americana sobre os fornecedores tornou impossível para a divisão de chips da empresa, HiSilicon, continuar fabricando os chipsets.

LEIA MAIS: Embaixador alerta para debandada de empresas se Brasil aceitar Huawei

Com as relações entre China e EUA no pior momento em décadas, Washington está pressionando governos ao redor do mundo a boicotarem a Huawei, argumentando que ela entregaria dados à espionagem do governo chinês. A Huawei nega que espione para a China.

Em maio, o Departamento do Comércio dos Estados Unidos editou decretos que exigem que fornecedores de softwares e equipamentos de manufatura não façam negócios com a Huawei sem primeiro obter uma licença.

Segundo a agência Reuters, a HiSilicon, da Huawei, depende de softwares de empresas norte-americanas para projetar seus chips e terceiriza a produção a uma empresa de Taiwan, que usa equipamentos dos norte-americanos.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Wikileaks que o diga Tio Sam

    Responder
  2. A China não é confiável.

    Responder
  3. A China está se metendo com quem ela não aguenta brigar!! É melhor que fiquem na deles. Essa história de conquistar o mundo, vai dar caca.

    Responder
    • Obrigado pelo comentário, Ed. Siga nos acompanhando

      Responder
  4. A China possui cultura diferente da nossa.
    Povo mais submisso que acata, por conta de força bruta, as ordens e diretrizes ditatoriais do PCC há anos.
    É triste, mas nem mesmo o povo de lá confia em seu próprio governo.

    Responder
    • Obrigado por colocar sua opinião, Marco. Siga nos acompanhando. Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Supremas safadezas

Como os ministros do Pretório Excelso, o promotor da minha infância se julgava onipresente, onisciente e onipotente

A Suprema Corte e o abuso do poder

Quando juízes se tornam “superlegisladores”, as instituições se fragilizam e a sociedade perde a fé no sistema democrático

David Hume cancelado

Está em curso uma espécie de eugenia intelectual que conta com a simpatia ou covardia de reitores e professores de prestigiadas universidades internacionais

Vacina contra ditadura

Na ONU, Trump fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito — e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

E chegamos à era dos ciborgues

Teremos nosso potencial mental multiplicado e nossas ações serão, literalmente, rápidas como o pensamento. O que faremos com esse novo poder?

Os intelectuais e a sociedade

Intelectuais ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês