Aras volta a criticar a Lava Jato: 'República não combina com heróis'

Em 29 jul 2020, 19:30

Aras volta a criticar a Lava Jato: ‘República não combina com heróis’

29 jul 2020, 19:30

Em audiência com senadores, o Procurador-Geral, Augusto Aras, também questionou as operações recentes da PF em gabinetes do Congresso

Aras

PGR participou de reunião com senadores | Foto: Pedro França/Agência Senado

Em audiência realizada com senadores nesta quarta-feira, 29, o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, voltou a criticar os trabalhos da Lava Jato. Desta vez, o PGR disse que a “República não combina com heróis”. Além disso, afirmou que a distribuição de processos na operação é passível de fraude.

O encontro virtual foi realizado a pedido do grupo Muda Senado, após Aras fazer duras críticas contra os integrantes da força-tarefa em uma live. Na ocasião, Aras afirmou que era hora de “corrigir rumos” pra que o “lavajatismo não perdure”, e para que outro modelo assuma o lugar da operação.

Além das críticas a operação, o PGR também questionou as operações de busca e apreensão da Polícia Federal em gabinetes de parlamentares. Ele citou como exemplo as recentes ações contra José Serra (PSDB-SP) e Rejane Dias (PT-PI). Na conversa com os senadores, Aras alegou que não deu nenhuma autorização a buscas contra senadores e classificou as ações de “grave ameaça”, porque os fatos investigados seriam anteriores aos atuais mandatos.

“O PGR alterna críticas agudas à Lava Jato e elogios ao combate à corrupção e ao legado da Lava Jato. No meu entender, as respostas do PGR foram insuficientes”, avaliou Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Reação

A força-tarefa reagiu. Em nota oficial, os procuradores da Lava Jato insinuaram que Aras estaria trabalhando em favor de políticos alvo de apurações do MPF. “Investigações de crimes graves que envolvem políticos e grandes empresários desagradam, por evidente, parcela influente de nossa sociedade, que lança mão de todos os meios para desacreditar o trabalho até então realizado com sucesso”, destacaram os procuradores.

Os integrantes da Lava Jato em Curitiba classificaram como “mentirosa” a informação dada por Aras na noite de terça-feira, 28, de que eles têm em mãos dados sensíveis e documentos ocultos de 38 mil pessoas. Na noite de terça-feira, Aras acusou os membros da Lava Jato de manter um banco de dados que chega a 350 terabytes. “A ilação de que há ‘caixas de segredos’ no trabalho dos procuradores da República é falsa, assim como a alegação de que haveria milhares de documentos ocultos. Não há na força-tarefa documentos secretos ou insindicáveis das Corregedorias. Os documentos estão registrados nos sistemas eletrônicos da Justiça Federal ou do Ministério Público Federal e podem ser acessados em correições ordinárias e extraordinárias”, esclareceram os procuradores.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 Comentários

  1. Aras acabou de apertar o botão de auto-destruição.

    Responder
  2. Combina,pq quem diz somos nós e não você. Em parte até concordo que a NOSSA república não combina tanto assim, MAS temos heróis sim e não irão apagar da nossa memória. Olavo de Carvalho é o maior exemplo de herói do nosso país,Bolsonaro, o pessoal das mídias independentes e etc.

    Responder
  3. A república não combina com heróis ? Certamente Aras se refere à república da velha política, a qual , agora sabemos, ele defende. Mais um membro do mecanismo se revela com a maior desfaçatez!

    Responder
  4. A lava-jato vêm se desfazendo com o tempo. Mascaras vão caindo pelo caminho e mostrando a verdadeira face de seus heróis.
    Parece q tudo no Brasil acontece pra favorecer grupos, tudo parece ser direcionado. Tá na hora de mudar disco.

    Responder
  5. A República não combina com heróis e nem com canalhas.

    Responder
  6. Falar, até papagaio fala, gostaria que, O PINÓQUIO, que falou em fraude mostrasse as fraudes e nomeasse quem as fez pois, dessa maneira o Ministro ALEXANDRE MUSSOLINI pode mandar prender por FAKE NEWS, esqueci que só vale para apoiador de Bolsonaro.
    O JUDICIÁRIO está ficando interessante pois eu achava que ele existia para defender as nossas liberdades e atacar a ILEGALIDADE.
    SÓ QUE NÃO.

    Responder
  7. Coitado do Tiradentes morreu a toa.

    Responder
  8. A República não combina com corruptos, ladrões soltos e toda sorte de incompetentes e oportunistas que infestam a vida pública.
    Proteger corruptos, lavadores de dinheiro e poderosos a serviço do crime não é função de Procuradores.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias