Atentado terrorista em Nice, na França, deixa três mortos - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 29 out 2020, 11:00

Atentado terrorista em Nice, na França, deixa três mortos

29 out 2020, 11:00

Uma das vítimas foi degolada. Prefeito da cidade afirma que assassino gritava ‘Alá é grande’ ao ser preso

atentado, nice, frança, islamismo, fascismo, emmanuel macron

Atentado em igreja de Nice, na França, deixou três mortos | Foto: Reprodução/Twitter

Um homem armado com uma faca atacou várias pessoas na saída da igreja de Notre-Dame, em Nice, na França, na manhã desta quinta-feira, 29.

De acordo com a imprensa francesa, pelo menos três pessoas morreram, duas delas dentro do local. Autoridades francesas falam em atentado terrorista.

O jornal francês Le Parisien informa que pelo menos uma das vítimas foi degolada pelo agressor, que tentou se esconder em um banheiro dentro da igreja depois do ataque. Ele foi baleado e preso pela polícia.

Ainda segundo a publicação francesa, o prefeito de Nice, Christian Estrosi, teria afirmado que o assassino, enquanto era socorrido, repetia a frase “Allahu Akbar” (“Alá é grande”, em português).

Em uma publicação no Twitter, Estrosi comparou o ataque em Nice ao do professor Samuel Paty, morto há 13 dias por um adolescente muçulmano após mostrar caricaturas do profeta Maomé durante uma aula.

“Treze dias depois de Samuel Paty, nosso país não pode mais estar satisfeito com leis de paz para destruir o islamo-fascismo”, escreveu o prefeito de Nice. Em outra publicação, Estrosi afirma que duas pessoas foram mortas dentro da igreja e que Nice “pagou um preço muito alto, como nosso país nos últimos anos.”

Já o jornal Le Figaro divulgou que as duas vítimas mortas dentro da igreja são uma mulher idosa, que teria sido quase decapitada próximo a uma pia de água benta, e um sacristão da igreja. A terceira vítima teria conseguido fugir e se refugiar em um café, mas foi morta com múltiplas facadas pelo bandido. A publicação também afirma que o agressor seria um jovem de aproximadamente 20 anos, identificado apenas como “Brahim”. Ele teria dito que agiu sozinho.

O ministro do Interior, Gerald Darmanin, convocou uma reunião de crise para acompanhar o caso. Em uma mensagem publicada em sua conta no Twitter, Darmanin disse que uma operação policial estava em curso e que havia conversado com o prefeito da cidade.

O presidente francês, Emmanuel Macron, também participou do encontro, segundo a imprensa francesa. É esperado que Macron vá até Nice ainda nesta quinta-feira para acompanhar a situação pessoalmente.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 Comentários

  1. O pessoal “esquerdinha” é contra as leis que dificultam a imigração. Taí o resultado…
    O nosso sistema dá direito amplos para “todos”, inclusive estrangeiros e, estes, por sua vez, se utilizam das liberdades concedidas pelo nosso próprio sistema para nos aterrorizar (literalmente, como demonstra a reportagem).

    Responder
  2. Acho que a parte mais importante desta noticia foi omitido . O ¨Tunis Tribune ¨, orgão de informação na França, informou que o sujeito preso e´da Tunisia , ¨Imigrante(?!?!?)¨ na ilha de Lampedusa na Italia e entrou ilegalmente na França .

    Responder
    • Este individuo chegou a Lampedusa o dia 9 de outubro , fugiu do local de acolhimento e ja tinha sido classificado como illegal , esperando ser reempatriado. Fugiu e seguiu pelo caminho bem conhecido faz anos ( lembrar o Massacre anterior em Nice na Promenade des Anglais ) de Ventimiglia cidade proxima a Nice.
      ( Jornal Corriere della Sera )
      Macron sabia dessa pratica mas nunca tomou providencias.

      Responder
  3. Devem ocorrer mais e mais atentados desses até que esses europeus, não só o franceses, revoguem essa política de admitir esses muçulmanos em seus territórios, se já não for tarde demais.

    Responder
  4. Imigração irresponsável, cheque mate Macron.

    Responder
  5. Cadê o Vaticano, o Papa??? Lembrei, estão preocupados com as girafas da Amazônia!!

    Responder
  6. O estrago já está feito e não tem mais volta. Em 30 anos a Europa será muçulmana. O prefeito de Londres já é muçulmano e com a maioria na casa, começarão a mudar as leis. Os outros países seguem o mesmo caminho para deixarem de ser burros.

    Responder
  7. O Islã não é uma religião, é uma patologia.
    Desde o primeiro califato perseguem, escravizam e matam todos que não são mulçumanos. Todos que não seguem o Corão são infiéis. Pobre Eurábia.

    Responder
  8. Macron vai acabar com a França. Presidente fraco.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

O custo e o valor de ser ‘contrariador’

Prêmios como o ‘Contrarian Prize’ servem para aplacar o medo que muitos têm de se manifestar em defesa daquilo em que acreditam e assim reduzir o poder social do cancelamento cultural

Mentir e trancar é só começar

“Se você começar a proibir aglomeração em ônibus, vai faltar povo pra abastecer a quarentena vip, né?” / “Aí você captou tudo. Vidas doces importam”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Não é erro, é viés!

Não é uma tese conspiratória imaginar que há, sim, esquema nas pesquisas. Essa é uma possibilidade plausível

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O ex-mártir

O ex-mártir

"O antigo santo da luta anticorrupção, bandido para a esquerda e traidor para os bolsonaristas é um homem como qualqu...
A descoberta do ano

A descoberta do ano

"Desde o primeiro caso de covid-19, boa parte dos políticos viram na epidemia uma belíssima oportunidade para tirar pr...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 37 — 04/12/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês