Austrália vai alertar os seus cidadãos a não irem para a China

Em 8 jul 2020, 15:30

Austrália vai alertar os seus cidadãos a não irem para a China

8 jul 2020, 15:30

Austrália alerta que estrangeiros podem ser presos na China de forma arbitrária; relação entre os países anda inegavelmente tensa

Austrália China

Foto: Patty Jansen/Pixabay

O Departamento de Relações Exteriores da Austrália vai alertar aos viajantes que eles podem estar sujeitos a prisões arbitrárias na China. Esse alerta vai ser inserido em um novo guia para australianos que pretendem visitar a China.

Como principal  recomendação, o governo vai sugerir que os australianos não visitem a China. Turistas estrangeiros foram presos por autoridades de Pequim com a justificativa de que eles “colocaram em perigo a segurança nacional”.

O governo australiano já possui uma recomendação para que os australianos não visitem a China em razão dos riscos causados pela pandemia do coronavírus. A informação foi divulgada pela Sky News.

Tensão entre Pequim e Camberra

Conforme já divulgado por Oeste, as relações entre a China e a Austrália estão passando por um momento de forte tensão. Com a China inclusive ameaçando o país da Oceania.

Tudo começou com a Austrália pedindo que a Organização Mundial da Saúde (OMS) realize uma investigação independente sobre a origem do coronavírus. Em reação ao pedido da Austrália, Pequim ameaçou o país com sanções econômicas.

Logo após esse episódio, com o objetivo de interferir na política australiana, o embaixador da China divulgou uma conversa com a secretária de Negócios Estrangeiros e Comércio, Frances Adamson. Isso deveria ter desestabilizado o governo do primeiro-ministro conservador Scott Morrison.

Em mais um capítulo desta disputa, a Austrália defendeu que Taiwan, que a China considera uma província rebelde, faça parte da OMS. “Nós apoiamos a participação de Taiwan como observador ou convidado”, afirmou em nota o Ministério das Relações Exteriores da Austrália.

A China acabou impondo restrições à produtos oriundos da Austrália, como a cevada e a carne bovina. A China é inegavelmente o maior parceiro comercial da Austrália.

No último capítulo desta relação tensa, a Austrália lançou um plano de 270 bilhões de dólares australianos, cerca de R$ 1 trilhão, para incrementar a defesa do país.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. A China precisa lembrar que ela é dependente de muitos outrosnapises. Ficar isolada com o discurso bélico e sua tentativa de impor uma hegemonia não é um bom caminho. Além do mais, vários países não engolem o mal desencadeado pelo vírus e as suspeitas que caem sobre Pequim a respeito. Tomar essa atitude ditatorial contra Hong Kong só piorou a imagem dos chineses.

    Responder
  2. A China e sua regime comunista totalitarista está na contramão do mundo conservador. A Russia, mãe da seita, tentou e não conseguiu.

    Responder
  3. Até agora não entendi por que o Presidente Trump não fez um acordo com o Presidente Bolsonaro no sentido de contratar a mão de obra brasileira para fabricar no Brasil a maior parte das quinquilharias que são fabricadas na China. Aposto que os brasileiros fariam coisas com melhor qualidade.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias