Barroso, o “grande líder” da oposição - Revista Oeste

Revista

Barroso, o “grande líder” da oposição
Como está num mundinho onde ninguém é capaz de alertá-lo sobre o despropósito de declarar que o Brasil vive uma “ditadura”, o ministro vai em frente
11 set 2020, 08:20

O ministro Luís Roberto Barroso, a exemplo do que vem acontecendo com frequência alarmante entre a maioria dos onze ministros do Supremo Tribunal Federal, tem oferecido ao público uma sequência do que parecem ser acessos cada vez mais severos de excitação nervosa. Seria apenas problema dele, é claro, mas, por uma dessas coisas que só acontecem com o Botafogo e com o Brasil, o homem é ministro daquilo que tem a função legal de funcionar como a “suprema corte” do país. Nada de mais, na verdade, para um tribunal presidido até ontem por um cidadão que foi reprovado duas vezes no concurso público para juiz, recebia uma mesada de R$ 100 mil da mulher advogada e escreve decisões num português tão ruim, mas tão ruim, que nem pode receber nota; é simplesmente incompreensível. Mas uma calamidade não diminui de tamanho pelo fato de ser acompanhada de outra — e Barroso, de uns tempos para cá, resolveu dar um notável upgrade, como se diz, nos teores de ruindade desenvolvidos até agora pelos colegas. É osso.

O ministro, ultimamente, parece ter convencido a si próprio de que é o grande líder da oposição no Brasil — e como vive 100% selado dentro de um mundinho onde ninguém é capaz de alertá-lo sobre o perfeito despropósito de achar uma coisa dessas, ele vai em frente. Por que não? Barroso é levado terrivelmente a sério pela mídia, pelo senador Alcolumbre e por outros colossos da nossa vida política, intelectual e “civilizada”. É natural que acredite, como o galo Chantecler da fábula de Rostand, que o sol só nasce porque ele canta. Seu mais recente manifesto à nação e ao mundo foi também um dos mais esquisitos do seu repertório. Falando num inglês de curso Berlitz mal concluído, naquele sotaque de brasileiro que tenta imitar o que imagina ser a pronúncia “norte-americana” (era um vídeo do Instituto Fernando Henrique para uma plateia estrangeira — assista abaixo), Barroso revelou que o Brasil vive numa dic-tator-ship, que o presidente Bolsonaro é a favor da tortura e outros prodígios da mesma natureza. Levou meia hora para falar esse dic-tator-ship, assim mesmo, sílaba por sílaba. Quis parecer um tipo cosmopolita. Acabou sendo apenas cômico.

Como assim, “ditadura”? Para levar a sério por mais de cinco minutos a acusação do ministro, seria preciso que ele demonstrasse, com base em algum fato objetivo, por que o Brasil de hoje seria uma ditadura. E então? Quais os atos contra a democracia, as leis e as “instituições” praticados por Bolsonaro ou membros do seu governo? Em que data? Em que lugar? O governo enviou à Câmara ou ao Senado algum projeto que possa ser descrito como antidemocrático? Qual? Quando? E decreto — há algum decreto presidencial contra a democracia? Houve algum episódio, em vinte meses de governo, em que o presidente da República deixasse de cumprir alguma ordem da Justiça ou qualquer outra determinação legal? Talvez nenhum outro governo na História do Brasil tenha sido tão atacado pela imprensa como o de Bolsonaro — começou a apanhar antes mesmo de tomar posse e não parou até hoje. Durante esse tempo todo, não houve nenhuma tentativa de censura, aberta ou disfarçada, contra qualquer órgão de comunicação. Nenhum jornalista brasileiro ou estrangeiro foi incomodado até hoje, por nenhum motivo. (O ex-presidente Lula, a título de comparação, quis expulsar do Brasil um correspondente norte-americano que deu a entender num artigo que ele era bêbado: só não o expulsou porque não conseguiu.)

Bolsonaro nunca chegou a fazer 10% dos elogios desesperados que o jornal O Globo fez ao golpe militar

O que houve, e apenas uma vez, foi uma tentativa de ação legal contra um jornalista que escreveu o seguinte: “Eu quero que o presidente morra”. Mas e daí? A coisa não deu em nada, e nem deveria mesmo dar, porque não é contra a lei querer que o presidente, ou qualquer outra pessoa, morra. O problema é apenas de quem escreveu, do veículo que publicou isso e dos leitores, a quem cabe julgar esse tipo de desejo. Jornalistas são processados o tempo todo na Justiça, pelos mais diferentes motivos — não estão acima da lei, como se sabe. Nessas ocasiões, procuram um advogado e esperam a decisão da Justiça. Qual é o problema? Não há nada de errado com isso. Em compensação, Barroso despacha a poucos metros do ministro Alexandre de Moraes, que já censurou a revista digital Crusoé, proibiu que jornalistas de direita escrevessem ou falassem nas redes sociais, cassou perfis no Twitter, meteu a Federal em cima deles, apreendeu celulares, mandou depor, o diabo. Esse mesmo ministro conduz há um ano e meio um inquérito absolutamente ilegal contra quem ele considera divulgadores de “notícias falsas”. Quem é o censor da imprensa nessa história: Bolsonaro ou o STF?

Jair Bolsonaro pode ser um presidente ótimo, bom, médio, ruim ou péssimo, dependendo do lado em que você está. Lula e Luciano Huck acham que ele é péssimo. O general Heleno e Luciano Hang acham que ele é ótimo. O que ele não é, com certeza, é um ditador; não existe no mundo nenhum ditador que tenha sido eleito para o cargo por 58 milhões de votos em eleições livres, universais e democráticas, nas quais o único ato grave de violência foi a tentativa de assassinato que ele próprio, Bolsonaro, sofreu durante a campanha.

O que Barroso está dizendo — e no fundo ele está dizendo só isso, mais nada — é que o presidente é antidemocrático porque elogia o regime militar. É um argumento de centro acadêmico em faculdade de segunda linha. E os milhões de brasileiros que acham exatamente a mesma coisa — e para os quais o que o ministro chama de dic-tator-ship foi um dos melhores períodos que o Brasil já viveu? O que Barroso sugere que se faça com eles? A propósito: Bolsonaro nunca chegou a fazer 10% dos elogios desesperados que o jornal O Globo fez ao golpe militar e ao regime que saiu dele. “Fabulosa demonstração de repúdio ao comunismo”, dizia a manchete da edição de 3 de abril de 1964 de O Globo. Durante os 49 anos seguintes as organizações Globo continuaram dizendo basicamente a mesma coisa — até que, em agosto de 2013, resolveram pedir desculpas por ter escrito o que escreveram. Tudo bem. Mas quem disse isso foram eles, e não o presidente. Por que o ministro não vai reclamar com a Globo?

Não vai porque seu interesse não é determinar quem foi contra ou a favor de coisa nenhuma, e sim aparecer como o principal condutor da “resistência democrática” no Brasil. É duvidoso que seus colegas de STF, onde o nível de estima mútua é um dos mais baixos que se podem encontrar entre onze pessoas, concordem com a avaliação de líder que Barroso faz de si mesmo. O “Supremo”, notoriamente, é um lugar de muito chefe e pouco índio — mas ficar contra o governo, hoje em dia, é o que se chama de uma grande career opportunity, como diria o próprio ministro num dos seus sermões em inglês. Antes de lançar sua proclamação pró-democracia, Barroso já tinha se juntado, um pouco depois dos outros, ao bloco “Unidos do Genocídio”, formado no STF para denunciar Bolsonaro pelas misérias da covid-19 — numa tentativa de resultado ainda incerto para esconder a responsabilidade dos ministros na decisão de entregar às “autoridades locais” todo o combate à epidemia. O fato é que — por ordem direta do STF — as 130 mil pessoas cuja morte é atribuída ao vírus estavam, do ponto de vista da saúde pública, entregues à custódia exclusiva dos 27 governadores e 5.500 prefeitos quando morreram. Como é que se vai apagar isso? A saída tem sido a negação sistemática e organizada da realidade — e acusar Bolsonaro de “genocídio”.

Barroso afirmou considerar normal que cada ministro tenha um funcionário para lhe arrumar o caimento da toga

O STF jamais vai conseguir explicar o que fez nem apagar a decisão que tomou. O governo federal não ficou afastado do combate à covid-19 porque quis abandonar o campo; isso foi assim porque o STF mandou que fosse, em decisão oficial com força de lei. E agora? Quem deu todas as ordens durante o período de tempo em que as 130 mil pessoas morreram não foram os governadores dos Estados Unidos nem os prefeitos da Alemanha; também não foram os marcianos. Foram esses que estão aí, e quem decidiu desse jeito foram Barroso e seus colegas. Os ministros dão a impressão de achar que está tudo resolvido, porque a classe política, a mídia e a elite fazem de conta que acreditam neles. Pode ser. Para a população, no meio de toda essa conversa, o que sobrou de concreto foi o seguinte: a única participação do governo Bolsonaro no combate à epidemia foi dar os R$ 600 do vale de emergência a 60 milhões de pessoas.

Não há, na verdade, nenhuma surpresa nisso tudo. Junto com a sua denúncia contra a dic-tator-ship, o ministro Barroso afirmou em público que considera perfeitamente normal que cada ministro tenha direito a um funcionário para lhe arrumar o caimento da toga e puxar sua cadeira quando se senta nas sessões plenárias. De acordo com Barroso, usar a toga é uma tarefa de altíssima complexidade; só mesmo quem não tem noção das coisas pode ignorar que a capa prende aqui, puxa ali, enrosca mais adiante. Em suma: é um perigo. O que iriam dizer se Bolsonaro falasse algo parecido? É melhor nem pensar. O STF, porém, é um outro ecossistema. O ministro Barroso faz lembrar uma daquelas gravuras de escravos negros que ficavam de quatro ao lado do cavalo para servir de escada ao sinhô na hora de montar. A diferença é que hoje é você quem paga o escravo.

Tudo a ver, não é mesmo? Acusar os outros, como sabe qualquer psicólogo, é um dos truques mais elementares e compulsivos dos que vivem num mundo falsificado: denuncie o próximo, sempre, de fazer aquilo que você faz e quer negar que fez. Barroso foi o advogado de defesa do terrorista italiano de extrema esquerda Cesare Battisti, hoje devolvido à Itália e cumprindo pena de prisão perpétua, no seu bem-sucedido esforço de asilar-se no Brasil para escapar da punição por seus crimes, durante o governo Lula. Battisti, que segundo Barroso era um “perseguido político”, assassinou quatro pessoas na Itália; antes de fugir para cá, foi condenado por 70 juízes italianos, e também pela Corte de Justiça da Comunidade Europeia. Segundo nosso ministro, então advogado, a Itália vivia naquele tempo, entre os anos 70 e 80, sob uma “ditadura” — isso mesmo, “ditadura”, uma acusação alucinada para um país que desde 1946 é uma das democracias mais impecáveis do mundo. Como era uma “ditadura”, não tinha o direito de punir um quádruplo homicida que matava pessoas porque obedecia a um “ideal político”.

Qual o crédito que se pode dar à acusação do ministro Barroso de que o Brasil vive uma ditadura hoje, quando ele acusou a Itália de viver uma ditadura em 1980? A Itália não mudou absolutamente nada de lá para cá; se era uma ditadura naquela época, então continua sendo uma ditadura hoje. Não faz nexo, claro — mas não é mesmo para fazer. Os ministros do STF, cada vez mais, estão tentando governar o Brasil sem ter sido eleitos para nada. Estão fraudando a vontade da maioria da população brasileira, expressa nas eleições democráticas de 2018. Perderam no voto — e agora se empenham em fazer o contrário de tudo o que o governo eleito se comprometeu a fazer junto ao eleitorado. Utilizam um truque básico: declaram que tudo aquilo de que não gostam é “inconstitucional”. Todo mundo fica quieto, ou bate palma. Eles não veem nenhuma razão para não ir adiante.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

141 Comentários

  1. Um grande babaca que se acha a bala que matou Kennedy. Sua hora vai chegar também, junto com a de seus amiguinhos.

    Responder
    • E o senado federal engaveta todos os pedidos de impeachment de ministros do STF. Como haveremos de nos livrar destes ministros que tanto mau tem feito ao nosso país ? Existe alguma forma de retirá-los de lá e colocar outros que cumpram a constituição? #STFvergonhaMundial !

      Responder
      • É tudo muito vergonhoso mesmo.
        #OPiorSupremoDeTodosOsTempos

        Responder
      • Iramar de linguagem maligna. O que o senhor quer dizer com seu comentário irado? Está incompreensível, pelo menos para um ignorante como sou.

        Responder
      • Ih, caramba. Esse mal é com L

        Responder
        • Do Wilson Ferreira!

          Responder
    • Será? Tenho a impressão que certo tipo de pessoa faz o que quer, como quer e nada acontece em represália. Talvez os netos dos meus netos terão um país mais decente, por hora a corja de pseudos juristas vivem para seu próprio ignóbil ser, com a proteção dos comparsas.

      Responder
      • E eu pergunto; é próprio essa fala para um ministro da mais alta corte do païs? Tomara que tudo isso sirva para o fortalecimento do governo, a maioria dos cidadãos não vai se deixar levar por essas ideias assim jogadas sem nenhuma comprovação e que não levam em conta as melhorias que vemos…… que pecado!! Precisa ter coragem para tentar prejudicar não o Pr , mas o país!!!!!

        Responder
        • Barroso é um homem culto e digno. Nas hostes bolsonaristas não há uma pessoa que possa ser comparada a ele. Ou o senhor considera dignos Ricardo Sales, sinistro do desmatamento&queimadas, processado pela Justiça paulista; pastor André, notório sabujo do capitão; Aras, ex-esquerdista oportunista; Weintraub, o boçal iletrado; Ernesto Araújo, planista de conflitos internacionais; e o próprio capitão, conhecido miliciano da baixa fluminense.

          Responder
          • Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Revista Oeste, como esse brucutu comuna não foi limada aínda?

            Responder
        • O fortalecimento deste governo comandado pelo anticristo é o extermínio do nosso futuro. Como vocês não enxergam que caminhamos para o abismo sob direção de uma família de milicianos? É por ressentimento ou por fracasso? Ou é por sentimento fascista ou por ignorância?

          Responder
          • Ô criatura, cegada por lavagem cerebral.
            Abre os olhos e vê o que o Brasil está evoluindo com o Presidente Bolsonaro, apesar do país destroçado que ele recebeu da corja de ladrões esquerdistas e oportunistas de plantão. Te recicla!

            Responder
      • É Renata;
        Talvez, se tivermos educação universal, esgoto tratado e agua potável encanada!

        Responder
    • Excelente texto e análise. Como advogada amordaçada pela conveniência e medo, faço minhas as suas palavras.

      Responder
      • Guzzo não cansa de se superar.

        Responder
        • Concordo plenamente!!! Guzzo é coerente, objetivo, claro e cirúrgico, não fica se enroscando em meias verdades! Cada vez mais entendo que há urgente necessidade de se modificar o modo de escolha dos ministros do STF, bem como a implantação de mandatos, que poderiam ser fixados em 10 (dez) anos, sem possibilidade de recondução, a fim que haja renovação e a possibilidade de outros magistrados demonstrarem suas capacitações, incentivando a movimentação da carreira, que atualmente fica engessada por anos a fio, para desgosto dos cidadãos contribuintes, que devem pagar mas não protestar!!!

          Responder
          • Também concordo com o método de escolha dos integrantes do Supremo. Agora corremos o grave risco de vermos o pastor André e Augusto Aras, conhecido como Capitão Virgolino, vestirem a toga. Deus nos livre!

            Responder
            • Quem paga a assinatura desse Zé Ruela?? O PT?

    • Barroso se acha o último biscoito do pacote podre que é o STF hoje. Uma afronta à Justiça verdadeira!

      Responder
      • Sua Justiça verdadeira vem de pastor André e de Augusto Aras, o Capitão Virgolino? É a que protege o filho 01? É a que manda Queiroz para casa? É a que escamoteia os sinistros cheques depositados na conta da primeira dama? Se o senhor deixar de lado sua ideologia para pensar, talvez conclua que tudo é relativo, sobretudo no Brasil.

        Responder
        • Quem paga a assinatura desse Zé Ruela??

          Responder
    • Vaidade , vaidade , vaidade o combustível que move os egocêntricos que mal olham para si mesmos . Com uma sessão de analise psiquiátrica , só uma, trariam sua auto estima hiperdimensionada a zero . Não conhecem sua própria realidade , acabam tendo um solitário e triste fim . De dar pena …

      Responder
    • Entre viver na “ditadura” imaginária do Bolsonaro e na DITADURA real desse STF podre, que não foi eleito por ninguém e foi indicado por notórios corruptos, eu e milhões de eleitores preferem que arranquem da toga esses 11 ditadores.

      Responder
      • Concordo plenamente apesar de ter que reconhecer que com a carência de um mestrado decente em nossas Universsidades e profesores decentes no ensino Médio,o que esperar de nosso povo,a ser fazer como o nossos pai nos educavam em casa,nos alertando dos golpistas interreseiros.

        Responder
      • Brilhante Guzzo! Como sempre, a sua análise foi impecável e cirúrgica, perfeita! Infelizmente temos uma corte digna apenas de nojo e repúdio. É um privilégio ter acesso a pérolas como mais este seu texto. Aceite os meus parabéns, com muita admiração!

        Responder
    • Sua linguagem tosca e grosseira é tipicamente bolsonarista, sr Iramar Maligno.

      Responder
  2. Excelente texto.
    Como disse Guzzo =>”O STF é um outro ecossistema”<=, complementaria que composto em sua imensa maioria por pessoas limitadíssimas, alienadas, prepotentes, presunçosas, despreparadas incompetentes e medíocres, mas quase todos militantes ativos da esquerda, me parecendo exceções a parte dessas características, Fux e Marco Aurélio, mas, em geral, o único motivo de terem sido levadas para lá!
    No entanto, embora eles não veem nenhuma razão para não irem a diante, não significa que não existam, de fato, motivos que vão se acumulando para tomadas de decisões legais.
    O que vejo mais é a cegueira peculiar e contumaz à ignorância e soberba, que tem a ver com a Bolha em que se encontram criando e limitando seu próprio ecossistema.

    Responder
    • Parabéns GUZZO por mais um artigo de muita lucidez em nossa realidade diária do STF.Barroso um i****** que tenta falar em inglês, quando só para dizer o básico, não sabe pronunciar corretamente o idioma.Parecia uma criança em início de processo de alfabetização,ridículo,como tudo que disse.Outro demente seu colega como ministro,pediu que o Presidente Bolsonaro cuidasse melhor das graves diferenças sociais do Brasil.Eu apenas responderia a esse senhor: que tal começarmos com a redução de seu salário?o povo ficaria agradecido.Nao tem como explicar a disfunção que paira nessa casa.Esses ministros receberam dinheiro indevido,para não usar outra palavra .possuem arroubos de poder e são os próprios ditadores que Barroso tanto citou em live ridícula.

      Responder
      • Pra você Guzzo, eu bato palmas, ótima análise. Pros onze cheios de empafia, encastelados numa torre, eu deixo vaias.

        Responder
        • Maior de todas as vergonhas é o Senado, que mantém esses boçais no STF.
          #SenadoVergonhaNacional.

          Responder
      • 👏👏👏👏👏👏👏👏

        Responder
  3. Parabéns mestre Guzzo, já esperava este importante e irreparável relato do estranho comportamento desse iluminado ministro Barroso, ainda quando boa parte da imprensa combatente da corrupção lhe atribuía méritos por condenações de corruptos. Ocorre que, a sociedade nada sabe sobre a SELETIVIDADE dessas ações que não atingem corruptos de estimação. Como pôde este senhor ter criado problemas para a abertura do processo de impeachment de Dilma, inovando em voto divergente ao de Fachin, a necessária autorização do Senado para autorizar também a abertura do processo, quando ao Senado somente caberia o julgamento. Como pôde

    Responder
    • Que texto! Parabéns Guzzo

      Responder
  4. Excelente mestre Guzzo! Acho que já passou da hora do povo reagir a esses ministros do STF…

    Responder
    • Sim, meu nobre Valter Silva Galvão, passou da hora de reagirmos a esses ministros (?) do STF. Certo estava o ex- Ministro Abraham Weintraub.

      Responder
    • Ah, como eu gostaria que o Barroso lesse este texto…quem sabe refletisse e colocasse a mão na consciência, se é que ele tem uma.

      Responder
  5. enviei erroneamente o comentário incompleto, e continuo, Como pôde Barroso em sessão no STF, defender ardorosamente a forjada e fajuta delação premiadíssima do quarteto Joesley/janot/Fachin e Globo, que concedeu a um dos maiores criminosos financeiros do pais, a liberdade de se ausentar do pais com família, pertences e outros bens, unicamente com o intuito de derrubar o presidente Temer, em sua boa gestão de reformas? Não conseguiram, entretanto interromperam a necessária reforma da previdência em Maio /17. Esta armação foi tão fajuta que o próprio PGR Janot, irritado com o comportamento dos criminosos pediu sua anulação. Vale dizer que nesta armação, participou inclusive procuradores da república, como Marcelo Miller que trabalharam para formar essa denuncia. Alguém sabe o que ocorreu com esse procurador?
    Guzzo, continuem nos oferecendo outros informes sobre as atuações desses ministros do STF, para que não sejamos enganados por algumas decisões enganadoras e princípios pouco relevantes em relação a suas personalidades corporativistas, oportunistas, e autoritárias.
    Guzzo, recomendo matéria sobre o comportamento de Fux na concessão da liminar que concedeu durante 4 anos os imorais e alguns ilegais auxílios moradia para juízes, promotores e assemelhados. Vale dizer que juízes com cônjuge também juízes, recebiam 2 auxilios moradia como o Bretas no RJ.
    Quanto nos custaram esses imorais e ilegais privilégios, que talvez ainda não tivessem sido interrompidos senão após a concessão de aumento de 16,3% para o salário dos membros do STF e que serve de teto para todas as demais carreiras?
    Parabens Guzzo

    Responder
  6. Excelente artigo , Guzzo !
    Precisamos muito dos teus textos.
    Grande abraço!

    Responder
  7. Como bem disse Guilherme Fiuza é um palhaço, o qual ninguém acha graça, pois só é engraçado para o circo dele mesmo e de seus asseclas.

    Responder
    • Primoroso artigo que se o ministro em questão ler e compreender poderá, um dia, pedir perdão por tanta ignorância!

      Responder
      • Infelizmente nunca pedirá perdão a ninguém, não faz parte de seus princípios,nem de seu caráter.Como disse Fiuza é um palhaço demente.O povo brasileiro já está cansado de tanta insanidade dessa corte,era para ser suprema,mas é patética.

        Responder
        • Exatamente, Teresa! Esses urubus rastaqueras se acham os reis do Olimpo, o mais caro bordel da praça.

          Responder
  8. Esse ai é mais um palhaço da esquerda que obtêm cargo por indicação. Se houvesse concurso não passaria e uma coisa que falta ao STF e nunca vai existir é CARÁTER e HONESTIDADE.

    Responder
  9. Extraordinário Guzzo. A lamentar o fato de a imprensa contar com tão poucos como você. Infelizmente, a maioria opera contra o governo e os que o elegeram.

    Responder
    • E a pergunta que fica. Com gente assim ocupando as altas instituições esse país tem jeito?

      Responder
      • Não tem não !

        Responder
  10. J. R. Guzzo, o imutável jornalista por excelência. Acompanhava sua coluna em Veja, quando Veja era uma revista de credibilidade. Hoje, não passa de um pasquim de segunda categoria.

    Responder
    • É pra aplaudir de pé! 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

      Responder
  11. Excelente, Guzzo!!!

    Responder
  12. Excelente texto. Parabéns!

    Responder
    • Como sempre o texto de Guzzo é perfeito !

      Responder
  13. Ainda existe vida inteligente no jornalismo brasileiro, parabéns pela matéria Guzzo, você me representa.

    Responder
  14. Caro Sr. Guzzo…primoroso seu texto!
    Mais um para a coleção dos textos que precisamos emoldurar e pendurar …!
    Vou ler de novo, pois como em toda a leitura, uma segunda passada sempre nos traz algum novo detalhe que se nos escapou…!
    Genial!

    Responder
  15. Já passou da hora da reação

    Responder
  16. Guzzo de maneira inapelável destrói uma palhaçada digna de um circo mambembe. Este ministro age como um inconsequente e mentiroso, mostrando sua tendência esquerdista e irresponsável. Um sujeito que defendeu um criminoso comum que da mesma forma que ele, acusou a Itália de uma ditadura indo de encontro a história e a verdade. Não passa de um falso e mentiroso!

    Responder
  17. Perfeita a avaliação do Ministro Barroso.

    Responder
  18. Excelente mestre Guzzo.

    Responder
  19. A necessidade de exibição é grande. Intimidar é um recurso de pessoas despreparadas. Se fosse respeitado não precisava disso.

    Responder
  20. Perfeito texto Pena que tragico. Barroso vive na bolha da Vila Madalena,da esquerda rica como os controladores do Itaú da classe artística saudosa das benesses do passado. Eles não vem a realidade do povo que quer trabalhar e empreender e sofre devido a altíssima carga fiscal gasta principalmente em salários do funcionalismo público é até o início do governo Bolsonaaro com Guedes e Campos em pagamento de altíssimas taxas de juros muito superiores a necessária para controlar a inflação

    Responder
  21. Brilhante, Guzzo! Como sempre.

    Responder
  22. No Brasil, não há ninguém que sabe expor tão bem, e de forma tão inteligente, as hipocrisias dos ministros do Supremo quanto J.R Guzzo. Excelente texto!

    Responder
  23. Ler um texto do Guzzo é maravilhoso, não só pelo conteúdo, mas pelo português bem escrito e a ironia bem colocada de sempre. Amo.

    Responder
  24. Parabéns Guzzo. Me apavoro porque os Ministros do STF acreditam que “eles” são os SUPREMOS. Não é o Tribunal, mas eles próprios. E isso já foi declarado em voto por Gilmar Mendes. E suas atitudes, como denunciaste, correspondem a essa crença.

    Responder
  25. FICO BOBO DE VER O COMPLEXO DE VIRA LATA DA MAIORIA DOS BRASILEIROS, ESTE GUZZO ESCREVE BEM, DE VEZ ENQUANDO ESCREVE BESTEIRA, É O TRABALHO DELE, NÃO FAZ MAIS DO QUE A OBRIGAÇÃO, MAIS AI OS PALERMAS FICAM VANGLORIANDO O CABRA , PELO AMOR DE DEUS, TENHAM HOMBRIDADE.

    Responder
    • Parabéns Guzzo. STF é seus onze “sinistros”, lacaios que se acham os tais, e não são nada mais do que uns coitados, histrioes.

      Responder
    • INFILTRADO.

      Responder
    • Lúcio Flavio Gonçalves, ninguém aqui é obrigada a assinar a Revista,o público lê porque gosta e admira artigos bem escritos,verdadeiros que refletem a realidade e os fatos que vivemos em nosso País.
      Eu apenas leio o que me faz pensar e refletir melhor.Se vc gosta ou não do que leu(porque quis) mostre argumentos e não agrida com palavras um dos maiores jornalistas brasileiros.Tenha respeito aos colaboradores dessa Revista Oeste,veio para ficar.Escolha outras mídias,de seu agrado.Aqui é um espaço para ter acesso a boa informação e leitura.

      Responder
      • Parabéns!!! Cada um lê aquilo que lhe satisfaz. Quem não gosta deste espaço que vá ler o Estado de São Paulo que, lamentavelmente, à exceção de Guzzo, de Carlos Alberto de Franco, de Fernão Lara Mesquita e alguns poucos do mesmo quilate, tornou-se um jornal medíocre, determinado em desacreditar o Presidente da República, em menosprezo à inteligência dos leitores!

        Responder
        • É o jornal do seu Pereira!

          Responder
    • Você escolheu a revista errada, meu prezado! Vá ler Crusoé, Carta Capital, Folha, O Globo, etc, etc. Lá você vai encontrar o que aqui não tem.

      Responder
    • O cara vive latindo quando passa um carro, fura sacos para matar a fome, e chama os outros de vira latas, as coisas andam mesmo invertidas neste pais.

      Responder
  26. Análise Perfeita.

    Responder
  27. Mais essa investida do juiz Barroso contra o Presidente da República é tanto mais grave porque, além de ministro do STF, ele é, atualmente, presidente do TSE. A acusação, além de inadmissível ativismo político, coloca Barroso na manifesta condição de pessoa suspeita – para dizer o mínimo – em relação ao Chefe do Executivo. A pergunta é: quanto tiver de atuar como juiz em causa de interesse direto ou mesmo indireto de Bolsonaro, seja no STF, seja no TSE, o ministro cumprirá a lei, revelando essa sua notória condição pessoal de falta de insenção, afastando-se, em consequência, desse julgamento? Vamos ver, nessa hora, até onde vai a pretensa performance ética de Barroso. Quem viver, constatará.

    Responder
  28. Magistral!

    Responder
  29. 👏👏👏👏

    Responder
  30. Parabéns Guzzo, entre um monte de verdades que escreveu neste artigo gostei muito (daquilo que tem a função legal de funcionar como a “suprema corte” do país). Realmente o STF hoje em dia não passa de um “aquilo”.
    Espero que com a ajuda de homens lúcidos como o prezado Jornalista ( com J maiúsculo) a opinhão pública não esquece das impropriedades que os atuais ocupantes “daquilo” estão fazendo.
    É que não seja esquecido que o fazem com proteção de Congresso.

    Responder
  31. Cuidado aí pessoal, tem um esquerdopata nos comentários… Cara, volta lá pros ANTAgoniza…

    Responder
  32. Parabéns, Guzzo, pelo texto demolidor. Se esse pilantra tivesse um mínimo de honradez e respeito pela corte que representa deveria pedir afastamento definitivo do cargo que ocupa, pelas baixarias que falou.
    Mas, qual ! Exigir decência de uma pessoa cuja arrogância, narcisismo e megalomania o faz pensar que existe apenas para ser admirado, é esperar demais de alguém que, por um triz, conseguiu escapar da Castelo de Areia e que mente escancaradamente na defesa de um terrorista tetra-homicida.

    Responder
    • Parabéns, Guzzo, hoje estamos vivendo sob as ordens de um Supremo que se tornou chacota nacional, lamentavelmente! como pode-se manter um Supremo sem o respeito dos brasileiros? Eles não respeitam o princípio Constitucional da Separação de poderes e invadem a competência e a autonomia dos demais poderes, e desse modo, se assemelham a “juízes de futebol” que quando aparecem mais que os jogadores é porque algo estão fazendo de errado. Só vejo uma saída para a situação que se apresenta: se todos, espontaneamente , pedissem aposentadoria para haver uma Renovaçao total!

      Responder
    • Tem alguma coisa errada, que não está certa.

      Responder
  33. Excelente, uma hora dessas vao se dar mal, só fico preocupado com um sujeito desse padrao mau carater presidente do TSE em tempos de eleicoes.

    Responder
  34. Excelente, Guzzo !
    O Barrosinho se acha a última bolacha do pacote. O pior é que a pseuda intelectualidade tupiniquim dá ouvidos às besteiras que ele fala.
    Parabéns por ter dito o que temos vontade de falar !

    Responder
    • Caro Zé Antônio;
      As divinidades não moram no planeta terra.
      Não sabem o que é arar a terra, roçar, pegar trem, metro e ônibus para ir trabalhar,
      Aqui abunda a fome, a doença, o esgoto a ignorância por falta de oportunidade.
      La, abunda tudo!

      Responder
  35. Barroso, o homúnculo da boca de veludo. Nossa hora vai chegar e vamos lidar com o tipinho.

    Responder
  36. Tchê, tu continua inspirado e jungido pela Luz do Santo Jornalismo. Gostei da lembrança do galo despertando o sol… Quem escolhe os ministros do STF é o presidente da república. No entanto, a sabatina final, o que vale mesmo, é a aprovação no senado que tem se comportado como alunos que tiram zero na prova e tentam tirar o professor da escola…
    Parece que nosso vinho e risadas ficarão para a outra encarnação.

    Responder
  37. Em qual país este senhor vive? Com certeza, não o Brasil. Está na hora desses supremos ministros percorrerem nosso país, de preferência a pé, para conhecê-lo.

    Responder
    • Dá não!

      Responder
  38. Uma vez, um professor meu, catedrático, fez a seguinte afirmação: o brasileiro (ele era italiano), individualmente, é um leão. Mas coletivamente é um bando de cordeiros. Enquanto ficarmos em casa, esperando que alguém faça o que deve ser feito, é isso aí que vai continuar acontecendo, as eterno.

    Responder
    • Meu caro Pascoto;
      Bando de cordeiros, não.
      Todo o brasileiro é ladrão, menos eu que sou libanês e portanto não posso ser “brasileiro ladrão”e nem o Lula que é auto declarado honesto!

      Responder
  39. Esse aí é um dos ministrecos mais asquerosos da latrina jurídica que se transformou o stf. Vade retro, canalha.

    Responder
  40. Grande Guzzo, impecavel como sempre. Mas um grande jornalista como voce, gastar enorme esforço para explicar essa sucia de incompetentes do STF, é muita bala para pouco passarinho….

    Responder
    • Bem aplicado o “sucia”

      Responder
  41. Parabéns Guzzo pelo seu texto, você é demais!!!!

    Responder
  42. Não sei se rio do ridículo ou se choro de tristeza. Sou advogado há, aproximadamente, 50 anos (fora o período de estágio). Saudades em que os magistrados eram comedidos, não ficavam dando opiniões políticas (Não quero dizer que seja a maioria), traziam ensinamentos jurídicos que eram verdadeiras lições de Direito.
    Será que Sua Excelência se dará por suspeito para julgar causas envolvendo o Presidente? Eu só queria saber. Ele não precisa explicar.

    Responder
  43. Espero que a acessoria lhe mostre LB….pq uma palavra resume esta coisa chamada L Barroso, que alem de tudo é um baita covarde que não respondeu as declarações do R Jefferson e nem as acusações do Gilamar:NOJO
    Responda ministrinho arrogante

    Responder
    • ah e parabens mais uma vez pro Guzzo sempre fantastico!

      Responder
  44. JR Guzzo: perfeito!

    Responder
  45. Texto excelente. Parabéns!

    Responder
  46. J.R.Guzzo, maravilhoso texto. Repõe a verdade sobre a nossa dura, difícil realidade sem perder uma certa leveza. Grata.

    Responder
  47. Esse é o Lulu Boca de Veludo..?

    Responder
    • Boca chiusa…

      Responder
      • Completando o Adriano:
        “Ughlig alfuma”
        “Mach den Mund zu”
        “Porque no te callas?
        “Ferme la Bouche,”

        Responder
  48. Importante expor essa figura. Define bem a péssima qualidade dos componentes do stf

    Responder
  49. Outro grande texto do mestre Guzzo apontando as falhas que têm de ser apontadas pela imprensa séria. Mas será que esse time do STF, que é péssimo, melhorará com as próximas substituições? No banco de reservas já estão no aquecimento José Levi, André Mendonça, João Otávio de Noronha e Augusto Aras. Com qualquer desses “reforços”, a justiça no Brasil continuará a sofrer goleadas.

    Responder
    • Quando li Augusto, pensei que fosse o Augusto Nunes!
      Mas na outra linha li o sobrenome Aras!

      Responder
      • Já pensaram um Suprema Corte constituída por: Augusto Nunes, JR Guzzo, Guilherme Fiuza, Zé Maria Trindade, Victor Braun, Rodrigo Constantino?
        Já daria 6 a 5.

        Responder
  50. a única coisa suprema em relação a esses ministros é a sua mediocridade.

    Responder
  51. Grande Guzzo,
    Como sempre, gostei muito de teu artigo. Só discrepo do seguinte: erros semelhantes ao do ministro Toffoli em redação já impediram milhões de jovens de entrar para a universidade. Quando o português do texto é incompreensível, a nota é zero. Até mesmo no Enem.

    Responder
  52. Essa composição do STF é a pior da história do Brasil! Nojo!

    Responder
  53. Bem… como a Live foi em inglês, o público (provavelmente, enorme!) deve ser estrangeiro… a propósito, sabemos quem seriam essas pessoas?… para quem o egrégio falou todas essas “maravilhas” sobre nosso país?

    Em menos de um minuto de vídeo – o máximo que consegui ver/ouvir – ele diz que o país tem uma imprensa livre e vive numa ditadura… algo que somente pessoas que não sabem o que estão falando ou, pior, sabem muito bem.

    Por fim, foi tudo um grande mal entendido. O ministro se retratou, dias depois, dizendo que só disse aquilo pois não sabia que sua fala se tornaria pública… somente covardes e hipócritas falam pelas costas.

    Gostemos ou não dele ou de suas ideias, ao menos o presidente manda na testa o que pensa de frente…

    Responder
    • Se ele fala francês, então “fermentável la bouche”

      Responder
  54. O texto, mais uma vez, primoroso.
    No entanto seu impacto junto a estes cretinos do “SSTF” sempre foi e sempre será zero.
    O povo brasileiro aceita de tudo, nossos jovens(e incluo meu filho) são dominados pela militância de esquerda nas Universidades.
    Sabe quando mudará isso? Nunca!
    Temos militares graduados, ignorantes sobre o comunismo e frouxos para combater este mal.
    Quanto ao presidente, ele é refém destes mesmos homens ignorantes.
    Pobre Brasil!

    Responder
    • Sabe o que é, Fábio, o vestibulando racha o bico de estudar para entrar numa federal ou estadual. Depois é só alegria. ser doutrinado por professores comunistas, resguardados em seus gabinetes, e quando não fumar maconha e encher a cara. Não é o caso de seu filho. Você foi bastante sincero. Parabéns.

      Responder
  55. LuLu Boca de Veludo: como pôde uma instituição deste nível chegar a este nível de desqalificação com a presença destas criaturas neste nível de poder????

    Responder
    • Como perguntar não ofende, qual o motivo do apelido Lulu Boca de Veludo?

      Responder
  56. Perfeito.

    Responder
  57. A melhor definição foi a do Fiusa, é um palhaço!

    Responder
  58. A melhor definição foi a do Fiusa!

    Responder
  59. Um grande vigarista de toga!

    Responder
  60. Enquanto o PR e seu núcleo próximo não oferecerem real resistência ao $TF poderemos seguir dizendo que Bolsonaro não governa, apenas administra eficazmente o sistema de estradas de rodagem do país. O projeto que o elegeu parece ter sido engavetado em favor de uma “convivência pacífica” com a facção criminosa que estropia a nação. Não podemos aceitar qualquer tipo de pacto velado com as forças da escuridão!

    Responder
  61. J.R. Guzzo – Espetacular!! Parabéns pelo texto!

    Responder
  62. Que isto tudo vai mudar, vai com a eleição dos Presidentes da Câmara e do Senado, irá sair da gaveta os pedidos de destituição dos Ministros bandidos e dai saberemos quem são os brasileiros que pensam no povo que os elegeu ou só no seu rabo preso por roubalheira e desvios. A Federal já possui um levantamento completo de todos os maus elementos de nosso Congresso, irá restar muito pouco Ministro do STF e desta vez irão com uma mão na frente e outra atrás, com direito a aposentadoria do INSS por tempo de serviço. Para alguns talvez ganhem um premio de consolação, a PAPUDA. Os Governadores e Prefeitos que usaram o dinheiro público para outros fins, terão seus prêmios no tempo e quantidades certos. Esperem para ver, armaram para destituir o Presidente com a liberação da divida das Igrejas, só que ele não é tão burro como estes políticos calhordas, deixou para que eles resolvam o problema que criaram. Liberem que o Presidente não poderá se opor, nem se oporá, caberá ao STF dar a palavra final. Vamos ver qual será a posição do Togado Barroso e seus “amigos”. Até breve.

    Responder
    • Juarez;
      Qual será a posição?
      …porque não tem decência nem nunca terá, porque não tem vergonha, nem nunca terá, porque não tem governo!
      Do Chico.

      Responder
  63. Completamente alucinado, propalando inverdades.
    Mais um canalha…

    Responder
  64. Que texto!! Guzzo é impecável!!

    Responder
  65. Cheguei tarde, mas cheguei, fazendo coro com a bandeira de meu estado, uai. Guzzo, quero ver o dia que esses fantoches do STF terão coragem para direcionar seus petardos de imbecilidades contra você, Fiusa, Nunes, ou outro jornalista casca grossa que não seja um vendido ou alucinado. Vou viver muito…

    Responder
  66. Esse cara é uma vergonha! O Brasil precisa de uma mudança urgente!

    Responder
  67. Aliás, Lula só não conseguiu expulsar o jornalista americano porque estava bêbado.

    Responder
    • Estava?
      Estava, esteve, e estará sempre bêbado. Mas o alcoolismo dele não o faz um Wilston Churchill.

      Responder
  68. É pra aplaudir de pé! 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    Responder
  69. Mais uma perola do fantástico Guzzo… Precisam fazer a revista impressa… Montar minha biblioteca…

    Responder
    • Já falei isso. Revista impressa!

      Responder
  70. Esse ministro endeusado é o suprasumo do exemplo de tudo o que o país tem de ruim.

    Responder
  71. Parabéns Guzzo, certeiro como sempre. A questão da toga é indicativa; quem tem que mante-la impecável certamente defenderia que a mesma fosse, quem sabe, de veludo rosa.

    Responder
  72. Vibrante artigo, mas fica uma dúvida: o personagem em questão tem ou não tem um escritório de advocacia paralelo, cf acusou Gilmar? Jornalistas, ao trabalho!!

    Responder
  73. Excelente artigo. Parabéns, J. R. Guzzo!

    Responder
  74. Nunca vou me cansar de parabeniza-lo sempre pelas impecáveis descrições que faz das situações cômicas ou vexatórias de certas otoridades deste país. Que Deus o mantenha sempre lúcido e sagaz.

    Responder
  75. Guzzo, voc^é espetacular em qualquer artigo. Até naqueles publicados no jornal do seu Pereira, que é muito patrulhado!

    Responder
  76. Guzzo, você é espetacular em qualquer artigo. Até naqueles patrulhados no Jornal do seu pereira!

    Responder
  77. Guzzo, na Oeste não tem leitor de estimação, rigorosamente selecionados como no jornal do seu Pereira.
    Aqui, escreveu publicou.
    Parabéns!

    Responder
  78. Eu achava esse sr sensato quando enfrentava o Gilmar Mendes, mas ultimamente percebo que antes dele se pronunciar parece ter comido alguma coisa estragada. E tb quando escolhe com quem dialogar parece que consulta uma cartomante para lhe indicar com quem.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

OESTE NOTÍCIAS

R$ 19,90 por mês