Bolsonaro diz que Brasil pode deixar a OMS - Revista Oeste

Edição da semana

Em 5 jun 2020, 22:00

Bolsonaro diz que Brasil pode deixar a OMS

5 jun 2020, 22:00

Presidente afirmou que, seguindo os passos dos Estados Unidos, país também deve romper com a entidade se ela não perder viés ideológico

bolsonaro - oms - saída

Para Bolsonaro, OMS precisa pôr viés ideológico de lado | Foto: Alan Santos/PR

Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio do Planalto nesta sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pode retirar o Brasil da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Adianto aqui: os Estados Unidos saíram da OMS, a gente estuda, no futuro, ou a OMS trabalha sem o viés ideológico ou a gente vai estar fora também”, disse o presidente. “Não precisamos de gente lá de fora dar palpite na saúde aqui dentro”,

Bolsonaro também lembrou aos presentes o fato de a entidade ter retirado a hidroxicloroquina dos testes de medicamentos para combater a covid-19, por causa de um estudo da revista The Lancet, que depois se mostrou falsoe teve de ser retratado. A OMS então voltou atrás e voltou a estudar a HQC.

Tanto o presidente brasileiro quanto o americano, Donald Trump, apoiam abertamente o uso do medicamento no combate ao coronavírus. No Brasil, a utilização na rede particular e nos planos de saúde foi tão bem sucedida que levou o Ministério da Saúde a adotar a substância no protocolo do Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia também: A SOLUÇÃO QUE VENCEU A IDEOLOGIA – O Brasil perdeu tempo discutindo se a hidroxicloroquina é ou não “de direita”. Enfim, vamos ao que interessa: o uso do remédio no tratamento da covid-19

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 Comentários

  1. Já deveria ter saído.

    Responder
    • OMS ? Antro esquerdista..

      Responder
  2. Tudo indica que a OMS falhou em relação à pandemia. Tudo bem em falhar, mas nem todas as falhas são desculpáveis. Mais seriedade no trato daquilo que envolve o destino de milhões de pessoas é o que esperamos. A punição poderá ter resultado positivo, especialmente para aqueles que têm suas vidas diretamente tocadas pelos atos dessas pessoas.

    Responder
  3. Na ONU, não é só a OMS que está trabalhando a favor de agendas com viés ideológico esquerdista globalista denunciadas e desaprovadas cada vez mais pelos cidadãos de países ocidentais como EUA, Brasil, Polonha, Hungria, Itália, só para citar alguns países europeus. É uma boa hora de dar um basta e parar de financiar essas entidades como a OMS que se mostrou totalmente subserviente a China com sua condução errática e desastrosa da crise do COVID.

    Responder
    • Sem falar que braços da ONU quiseram empurrar a prática do aborto como serviço essencial sobretudo em.paises cuja constituição não aceita o crime do aborto. Eles não desistem.mas nós que somos pro vida também.nao

      Responder
  4. E assim a ONU vai criando tentáculos para interferir descaradamente em países soberanos. Já deveríamos ter desembarcado.

    Responder
  5. Otimo, menos uma Organização querendo mandar no Brasil.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês