Bolsonaro libera proposta para o Renda Cidadã e reforma tributária

Edição da semana

Em 28 set 2020, 12:35

Bolsonaro libera proposta para o Renda Cidadã e reforma tributária

28 set 2020, 12:35

Proposta foi apresentada pelo líder do governo ao Congresso nesta segunda-feira, 28

proposta

Proposta está sendo finalizada pelos líderes do Congresso | Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro deu sinal verde para as propostas do Renda Cidadã, novo programa social que visa a substituir o Bolsa Família, e da participação restante do Executivo na reforma tributária. Nesta segunda-feira, 28, o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), reuniu outros parlamentares para discutir os ajustes finais.

A ideia central do Renda Cidadã é expandir o Bolsa Família tanto em número de pessoas assistidas como no valor do benefício. O governo aposta na desvinculação, desindexação de receitas e revisão de benefícios tributários para fazer isso.

Já na reforma tributária a equipe econômica quer fazer uma desoneração ampla na folha de pagamento e aumentar a isenção do Imposto de Renda para pessoas físicas. Para financiar essas medidas, é apontada a criação de um tributo — nos moldes da antiga CPMF — sobre movimentações financeiras digitais.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Infelizmente, toda reforma sempre passa pelo bolso de quem não pode reclamar: os mais pobres.
    Temos no congresso bancadas do futebol ,dos funcionários públicos, evangélicos, do “toma lá dá cá” e por aí vai.
    Mas. onde está a bancada do “zé povinho”, aqueles que realmente criam riquezas, passam a via inteira pagando imposto e se aposentam com a “merreca” de no máximo R$ 5 mil e tanto e, olhe que são poucos – Dilma por exemplo – que o conseguem.
    Agora vem de novo a tal da CPMF, disfarçada ou sob a mentira que irá criar empregos e, é tão pouco que ninguém sentirá.
    Começou assim e, a medida da necessidade ou cara de pau foi aumentando e sufocando quem pouco tem.
    R$ 2 reais em R$ 1 mil? Para as ilustres excelências parece nada – afinal até tapioca era comprada com cartão corporativo – pois quase nunca poem a mão no bolso para pagar algo.
    Brasilia, nossa ilha de fantasia; o resto do país? Dane-se, pague e não reclame!
    inté!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês