Estoque de cloroquina: Bolsonaro nega - Revista Oeste

Edição da semana

Em 7 ago 2020, 20:10

Bolsonaro nega estoque de cloroquina no Brasil

7 ago 2020, 20:10

Presidente rechaça a informação de que o governo federal tem guardados 4 milhões de comprimidos do medicamento

hidroxicloroquina - cloroquina - bolsonaro - estoque

Foto: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

Além de se dizer uma prova viva da eficácia da hidroxicloroquina, Jair Bolsonaro pôs o medicamento em pauta durante outro trecho de sua live transmitida ontem, 6. Ao lado do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, o presidente da República negou que o governo federal mantenha em estoque 4 milhões de comprimidos do remédio.

Leia mais: “Médico que definiu covid-19 como ‘gripezinha’ está ‘pessimista’”

Pelo contrário. De acordo com o presidente, o país tem “pouca cloroquina”. Sem citar o jornal Folha de S.Paulo, veículo de comunicação que garantiu no último mês que o governo tinha “estoque parado”, ele informou que há acordo com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para o Brasil receber 1 milhão de comprimidos de cloroquina e hidroxicloroquina.

O mandatário brasileiro enfatizou, entretanto, que os medicamentos ainda não chegaram. Ao interagir com a equipe de Os Pingos nos Is, programa da Jovem Pan que tem Augusto Nunes e Guilherme Fiuza como comentaristas, Bolsonaro explicou que, a seu ver, mesmo 1 milhão de comprimidos é pouco para a demanda brasileira. Isso, levando em consideração o uso na fase inicial de tratamento contra a covid-19.

Protocolo

Como exemplo, Bolsonaro citou o protocolo de tratamento precoce da covid-19 prevê que o paciente tome 6 comprimidos de hidroxicloroquina: dois no primeiro dia de sintoma e mais um comprimido a cada dia pelos próximos quatro dias.  Assim, na hipótese de haver 1 milhão de doses de hidroxicloroquina, pouco mais de 166 mil pessoas receberiam o devido tratamento.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. O povo de baixa instrução se torna refém muito fácil da mídia e dos políticos corruptos.
    A manutenção da baixa instrução e com um viés forte na doutrinação marxistas nas escolas, é um dos pilares da esquerda para se manter ativa.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Supremas safadezas

Como os ministros do Pretório Excelso, o promotor da minha infância se julgava onipresente, onisciente e onipotente

A Suprema Corte e o abuso do poder

Quando juízes se tornam “superlegisladores”, as instituições se fragilizam e a sociedade perde a fé no sistema democrático

David Hume cancelado

Está em curso uma espécie de eugenia intelectual que conta com a simpatia ou covardia de reitores e professores de prestigiadas universidades internacionais

Vacina contra ditadura

Na ONU, Trump fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito — e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

E chegamos à era dos ciborgues

Teremos nosso potencial mental multiplicado e nossas ações serão, literalmente, rápidas como o pensamento. O que faremos com esse novo poder?

Os intelectuais e a sociedade

Intelectuais ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês