Bolsonaro revoga decreto sobre ‘falsa privatização’ do SUS

Edição da semana

Em Em 28 out 2020, 19:19

Bolsonaro revoga decreto sobre ‘falsa privatização’ do SUS

28 out 2020, 19:19

Presidente reforça que nunca esteve nos planos levar o sistema de saúde à iniciativa privada

presidente jair bolsonaro - falsa privatização do sus - revogação de decreto

O presidente Bolsonaro: contra o noticiário sobre a “falsa privatização” do SUS
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O Decreto nº 10.530, que sinalizava a possibilidade de unidades básicas de saúde espalhadas pelo país serem administradas pela iniciativa privada, não está mais em vigor. Foi o que afirmou o presidente da República, Jair Bolsonaro, no fim da tarde de hoje. Ele garantiu que a medida já foi revogada.

Leia mais: “Para a PF, senador atuava como ‘gestor paralelo’ da Saúde”

Bolsonaro falou sobre a revogação do decreto em entrevista ao canal CNN Brasil. Depois, foi às redes sociais explicar o que o levou a não seguir adiante com o projeto que, segundo ele, ajudaria a trazer recursos para finalizar obras relacionadas à saúde pública. Para o mandatário do país, houve repercussão em torno do que ele mesmo definiu como “falsa privatização do SUS”, o Sistema Único de Saúde.

“Temos atualmente mais de 4 mil Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e 168 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) inacabadas”, informou o presidente. “Faltam recursos financeiros para conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal”, avisou. “O espírito do Decreto 10.530, já revogado, visava ao término dessas obras, bem como permitir aos usuários buscar a rede privada com despesas pagas pela União”, complementou o presidente por meio de sua conta no Facebook.

Saúde pública e gratuita

Pouco antes do posicionamento por parte do presidente Jair Bolsonaro, o Ministério da Economia se manifestou a respeito do tema. Em nota, a pasta liderada pelo ministro Paulo Guedes fez questão de enfatizar que eventuais construções e administrações de UBSs e UPAs pela iniciativa privada “não afetarão a gratuidade” do SUS.

“A avaliação conjunta é que é preciso incentivar a participação da iniciativa privada no sistema para elevar a qualidade do serviço prestado ao cidadão, racionalizar custos, introduzir mecanismos de remuneração por desempenho, novos critérios de escala e redes integradas de atenção à saúde em um novo modelo de atendimento”, diz o Ministério da Economia em trecho do comunicado enviado à imprensa, conforme informa a Agência Brasil.

De acordo com o Ministério da Economia, as UBSs e UPAs inacabadas já consumiram mais de R$ 1,7 bilhão dos cofres públicos. “A participação privada no setor é importante diante das restrições fiscais e das dificuldades de aperfeiçoar o modelo de governança por meio de contratações tradicionais”, observa a pasta, que, por fim, ressalta que o decreto — agora revogado — falava somente em estudos técnicos que poderiam possibilitar o ingresso de empresas para gerir unidades de estruturas não concluídas que apenas representam custo para o governo federal (e para o contribuinte).

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 Comentários

  1. Não sei por que abortar uma medida tão salutar quanto essa.O SUS tem que ter participação da iniciativa privada sim.E tem mais:se a esquerdalha não gostou é porque a ideia é boa.

    Responder
  2. É revoltante que pessoas que vivem distantes da realidade dos problemas de saúde básica, dos problemas que enfrentamos com as deficiências das unidades existentes venham fazer blá, blá, bas e atrapalhar medidas que poderiam ser muito benéficas para todos.
    O SUS já pagam por serviços prestados por entes privados. Burrice é o medo de que o SUS possa ser privatizado. A saúde não é dever do estado?

    Responder
  3. Corrigindo; O SUS já paga…

    Responder
  4. Afinal, o ministro Barroso não vai se pronunciar a respeito dessa FAKE NEWS que bombou na mídia, “URGENTE: EM PLENA PANDEMIA BOLSONARO PREPARA PRIVATIZAÇÃO DO SUS” , com manifestações no meio artístico e oposicionistas, em véspera de eleições municipais cujas prefeituras é quem cuidam do SUS?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O que é o projeto BR do Mar?

O que é o projeto BR do Mar?

Texto tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados e pode ser votado a qualquer momento no plenário...
É o “mecanismo”

É o “mecanismo”

A 3ª maior doadora da campanha paulistana do PSOL é uma herdeira da empreiteira de obras públicas Andrade Gutierrez...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês