Boulos reproduz discurso da velha esquerda e promessas são 'inexequíveis'

Edição da semana

Em Em 19 nov 2020, 14:21

Boulos reproduz discurso da velha esquerda e promessas são ‘inexequíveis’

19 nov 2020, 14:21

Em artigo no jornal O Estado de S. Paulo, economista Zeina Latif destaca que o candidato acredita que tudo se resolve com mais recursos

Guilherme Boulos

Candidato à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos | Foto: Reprodução/Redes Sociais

A economista Zeina Latif, uma das mais respeitadas do Brasil, garante que a lista de promessas do candidato à prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) é “inexequível”.

Em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo nesta quinta-feira, 19, ela salienta que o político “reproduz o discurso da velha esquerda que não acredita em restrição orçamentária e acha que tudo se resolve com mais recursos. Nada se ouve sobre melhorar a gestão nas diversas áreas”.

Leia mais: Tarcísio dá ‘invertida’ em Haddad nas redes sociais

“A lista de promessas de campanha é inexequível, pela falta de recursos e por contemplar medidas tecnicamente equivocadas”, destaca a economista.

Boulos defende mais contratações para aumentar a arrecadação previdenciária. Promete mais procuradores para cobrar a dívida ativa. Para a saúde, mais médicos. E assim por diante.

“Embora com tom mais moderado, ele repete o nefasto e equivocado discurso populista”, afirma Zeina Latif.

A economista destaca que faltam bons diagnósticos sobre os problemas da cidade, as prioridades e a realidade fiscal. Boulos promete, por exemplo, uma “renda cidadã” paulistana, uma política onerosa e mais adequada para a União.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 Comentários

  1. Bem feito pra Zena Latif!!! Tanto que ela atacou o JB, agora vai ter que lidar com reais ameaças pra economia a partir dessa anta que não sabe qual é o logaritmo de 7 na base 7. ( não se envergonhe, ninguém sabe).

    Responder
    • Sempre que o logaritimo for igual a base, o resultado sempre será 1, kkkkkk.

      Responder
    • O “bolos” não sabe a raiz quadrada de 1…

      Responder
  2. São Paulo está ferrado. Como consolo teremos que suportar o boneco de ventríloquo do Doria por mais 4 anos.
    E no RS, a Manoela Dávila disse, numa entrevista a CNN, que vai gerar VINTE MILHÕES de empregos na cidade. O video está viralizando no WhatsApp.

    Responder
    • Ainda bem que nos sexshop tem bastante “consolo” para os paulistas se divertirem. Quem vota em Joice, Dória, nesse tipo de gente, merece mesmo ficar “gozando”, ao invés de nos gozarem.

      Responder
  3. Teremos um quadriênio bastante divertido. Isso eu garanto. E estou daqui de longe só observando, pois não sou paulistano e muito menos porto alegrense. Desejo sucesso para vocês aí.

    Responder
  4. Essa é a economista que em um programa de tv, não me lembro exatamente qual, mas acho que foi no Roda Viva, disse que, em nome do mercado, podemos fechar um pouco os olhos para os mal feitos.

    Responder
  5. A estratégia da esquerda em SP se repete. Um candidato da esquerda radical contra outro candidato da esquerda. Falo de PSOL e PSDB. O Boulos está apenas fazendo o que combinou com o PSDB, o mesmo acordo que o PT tinha. Dá a prefeitura de mão beijada ao PSDB e depois cobra favores. E o Estadinho ajudando nessa jogada!!!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O partido contra o Brasil

Ninguém ainda descobriu no planeta um jeito tão eficaz de concentrar renda quanto a fórmula usada para administrar as contas públicas no país

A paciência acabou

Os brasileiros começam a reagir à cassação dos direitos individuais

O ataque

A baderna no Capitólio é mais um sintoma da crise da democracia do que a causa de novos problemas

Eficácia

“Você demorou muito a comprar. Eficácia depende de rapidez” / “Poxa… Se eu soubesse teria comprado mais rápido. Ando muito dispersivo”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Como surgiu o novo coronavírus?

A resposta mais provável, até o momento: o vírus teve origem em pesquisas com manipulação genética no Instituto de Virologia de Wuhan

Globalistas assanhados com Biden

Eles não costumam viver de fatos, apenas de narrativas. Adotam a visão estética de mundo, e por isso a ONU é seu maior símbolo

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês