Brasil sofrerá com os efeitos do 'lockdown' nas escolas - Revista Oeste

Edição da semana

Em 23 set 2020, 18:00

Brasil sofrerá com os efeitos do ‘lockdown’ nas escolas

23 set 2020, 18:00

Resultado será um retrocesso generalizado mesmo nas pífias conquistas dos últimos anos

alunos

Alunos da Escola Municipal Abílio Gomes, no Recife, antes da pandemia | Foto: Sumaia Vilela/Agência Brasil

A conta pela demora em reabrir as escolas, alertam os especialistas, será alta. Um prejuízo brutal não só para cada estudante da geração covid-19, mas sobretudo para o futuro do país.

Os impactos serão visíveis tanto na economia a médio e longo prazo quanto no retrocesso na qualidade da educação, que já estava em situação calamitosa e deverá despencar ainda mais.

Além disso, o custo das sequelas psicológicas e emocionais, alertam os educadores, também não será desprezível.

A conta não fecha, e o resultado será aumento da evasão escolar, aprofundamento das desigualdades, e um retrocesso generalizado mesmo nas pífias conquistas dos últimos anos.

A colunista Selma Santa Cruz se aprofunda nesta discussão no artigo de capa da 26ª edição da Revista Oeste.

LEIA AGORA: A GERAÇÃO COVID-19 E O BRASIL COM O FUTURO COMPROMETIDO.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês