A cada 10 internados, 9 não se vacinaram, aponta estudo

Pesquisa foi realizada com pouco mais de mil pacientes hospitalizados no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, de São Paulo
-Publicidade-
Os pesquisadores analisaram as internações de janeiro até a primeira quinzena de setembro
Os pesquisadores analisaram as internações de janeiro até a primeira quinzena de setembro | Foto: Adriano Ishibashi/Estadão Conteúdo

Um levantamento do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, de São Paulo, revelou que a cada dez pacientes hospitalizados com covid-19, nove não tomaram as duas doses da vacina.

O estudo foi realizado com pouco mais de 1,1 mil pacientes internados no hospital entre janeiro e a primeira quinzena de setembro. Desse total, cerca de 140 estavam completamente imunizados.

Os dados apresentados pelo instituto ressaltaram que, dos pacientes hospitalizados, 274 morreram, sendo que a maioria (237) não havia recebido nenhuma dose da vacina. E que 21 tomaram apenas a primeira dose e 16 haviam completado o esquema vacinal contra o coronavírus.

-Publicidade-

Os dados foram apresentados pelo infectologista Jamal Suleiman. “Aqui, há de se ter um tratamento estatístico para a gente avaliar o impacto disso. Mas, de qualquer forma, esse número já mostra claramente o papel da vacina na contenção da pandemia. E esse recorte é importante, porque, na primeira fase, a vacinação abrangeu os sujeitos mais vulneráveis, a população do extremo da faixa etária”, explicou.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

18 comentários Ver comentários

  1. Caro jornalista, que materia mequetrefe,
    Estilo folha,
    a pesquisa inicia-se em Janeiro, onde poucos haviam tomado a vacina, neste cenário é óbvio que a maioria de internados seria de não vacinados.

  2. Um truque estatístico já feito nos EUA: o levantamento inclui os primeiros meses do ano, período em que haviam pouquíssimos vacinados e a segunda onda estava em seu pico. Claro que o volume de internados e mortos neste período é bem maior. Não peço nada além de um pouco de honestidade. Que tal o mesmo levantamento agora contando apenas os 2 últimos meses?

  3. Nesse período estudado o percentual da população geral com vacinação completa era bem menor do que não vacinados. Isso também tem de ser levado em consideração . As taxas são medidas em percentuais de acometidos sobre a população total estudada de cada grupo

  4. Senhores, há coisas estranhas nesse relato.
    Os dados apresentados precisam mesmo de melhores explicações. Se somente entre os mortos se pesquisou o grau de vacinação, precisamos saber o que aconteceu com os 826 que sobreviveram.

    É uma sutileza meio marota aí. São 1.100 pacientes, 274 morreram. Destes (274), 237 não tomaram vacina.

    Então temos 1.100 menos 274= 826…. Qual é o quadro destes 826 pacientes? Todos estavam vacinados?

    Se nenhum dos 826 estavam vacinados, a importância da vacina é então nula.

    Pior, 37 dos que morreram já estavam completamente vacinados.

    Faltaram perguntas (por parte dos jornalistas) ou faltaram respostas? De qualquer maneira, a reportagem é imprecisa.

    1. Excelente comentário. Faltam muitas perguntas e respostas. Inclusive qual período desta observação? Dos internados qual procedimento adotado pelo hospital? Ah desculpem… Está “proibido” falar de tratamento….

      1. “O estudo foi realizado com pouco mais de 1,1 mil pacientes internados no hospital entre janeiro e a primeira quinzena de setembro”, diz trecho da matéria.

  5. PREFIRO A IMUNIDADE NATURAL QUE IMUNIZANTE Ñ COMPROVADO, Ñ SOU RATO DE LABORATORIO. TRATAMENTO PRECOCE GERAM MESMO EFEITO DE MUNIZANTE. @instEmilioRibas de SP pago a soldo @jdoria e porcos asiaticos? Art 5.o NÃO TOMAREI NADA A FORÇA. @revistaoeste #DireitosIndividuais ñ comunismo DIREITOS INDIVIDUAIS SOBRE COLETIVOS NÃO ACEITAMOS SOCIALISMO E NEM COMUNISMO, 9 TOGADOS NÃO TEM PERMISSAO NEM AUTORIZAÇAO DE DEFINIR IMPUNIMENTE DESTINO DE 210 MILHOES DE PESSOAS, CORREM O RISCO SIM DE PERDER SEU CPF.

    1. Melhor ficar sem CPF que ficar doente ou morrer. Por outro lado se 210 milhões vamos ficar sem CPF perfeitamente podemos fazer um estado paralelo. Ainda segundo o MIT, o Imperial College of Londom os que resistem o relato da vacina e não se vacinam tem um QI superior, são mais inteligente. Imagine se 20, 30, ou 40 milhões ficam sem se vacinar e ainda mais inteligentes. A gente funda outro pais e depois de 10 anos vemos quem se deu melhor, se os full vaxxed ou os satânicos antivaxx

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.