Atriz de Pantanal usa termo ‘ovelha negra’ e é corrigida por suposto racismo

Marcela Fetter não reagiu à advertência de Manoel Soares; internautas defenderam 'letramento racial de brancos'
-Publicidade-
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A atriz Marcela Fetter, a jornalista Érica da novela Pantanal, foi corrigida ao vivo, durante o programa Encontro, da TV Globo, na quarta-feira 10. Marcela referiu-se à personagem que interpreta como “a ovelha negra da família”.

O apresentador Manoel Soares rapidamente disse: “Ou branca”. As demais pessoas no palco concordaram com o homem. Isso porque a expressão supostamente é racista, porque associaria pessoas negras a coisas ruins.

Usuários do Twitter atacaram a atriz na rede social e ressaltaram a “importância do letramento racial”. “Soares foi maravilhoso ao corrigir o racismo velado de Marcela na frase”, escreveu uma internauta. “A bixa (sic) não aprendeu ainda que esse termo é racista e solta essa ao vivo”, publicou outra.

-Publicidade-

Em um episódio do programa É de Casa, em junho, Soares também protagonizou polêmica ao desautorizar a apresentadora Talitha Morete de pedir a uma cozinheira negra que servisse os convidados.

 

Politicamente correto

Não é a primeira vez que pessoas são corrigidas ao vivo por supostamente praticar racismo.

Durante a transmissão ao vivo do programa Expresso CNN, o apresentador Evandro Cini repreendeu um comentarista da emissora no Rio. Alexandre Borges usou o termo “denegrir” ao discorrer sobre as notícias do dia.

Quando Borges terminou de falar, Cini chamou a atenção do jornalista. “Você usou o termo denegrir, que não é usual nos dias atuais”, disse o apresentador, enquanto Borges parecia visivelmente constrangido. “Isso é importante que se ressalte. Temos de cortar essa palavra, já que representa algo negativo, voltado à população negra. Temos de cortá-la para termos um diálogo e um discurso cada vez mais respeitador.”

O episódio ocorreu quase dois meses depois de Marcelo Cosme, da GloboNewsdar um “pito” em uma correspondente que usara o “termo racista denegrir” em um programa. “Como nós temos essa liberdade, quis chamar sua atenção para você poder se desculpar e não comentarmos mais sobre isso”, disse o âncora, ao mencionar que “todos cometemos escorregões às vezes”. Constrangida, Carolina se desculpou.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

42 comentários Ver comentários

  1. Não se sinta constrangida, Marcela. Apenas, eles não sabem o significado das expressões da nossa Língua, sempre usadas com sentido de exemplificar uma determinada situação, acontecimento, eufemismo, comparação etc.
    Alguém já viu uma ovelha negra? Pois é…
    Se essas pessoas estúpidas procurassem aprender o Português, não fariam papéis de tolos. Porque, na qualidade de comentadores, locutores, âncoras, e jornalistas em geral, têm obrigação de conhecer a Língua Portuguesa.

  2. Que coisa chata! vamos também reclamar das expressões que podemos considerar como racistas dirigida aos brancos, como: branco azedo, branquelas, branco xexelento, .etc.

  3. Pois é, alguns não usam uma palavra que possa ofender racialmente algum afrodescendente mas continuam dando preferência em contratar pessoas loiras de olhos azuis.

  4. Há pouco tempo eu disse pra uma passageira “branca” (sou motorista de app) em bate papo durante a viagem sobre renegociar dívidas protestadas que “A COISA TÁ PRETA”. A lacradora besta quadrada me corrigiu dizendo que eu estava sendo racista!
    Tive que explicar pra inepta que me referia à ESCURIDÃO, NÃO HAVER LUZ, NÃO ENXERGAR UMA SAÍDA, nada a ver com pessoas pretas.
    As coisas estão cada dia pior. O mundo acabou

  5. Vão pro quinto do inferno, bandi de mimizentos. Vcs impõem cada dia mais o ódio entre raças com essas atitudes estúpidas.
    Não esqueçam de taxar sua companheira RITA LEE de RACISTA por ter entre seus maiores sucessos a música OVELHA NEGRA!
    SEUS MERDAS

  6. Cada vez que vejo uma situação dessa fico cada vez mais preocupado de ser branco e ser hétero… 🤔… talvez eu crie um movimento… 🤦‍♂️

  7. Parabéns aos comentários. Nossa indignação tem que chegar à quem autoriza esse tipo de atitude. Esse que chamou a atenção é um capacho, um pau mandado que certamente nem sabe o que está defendendo.

  8. Aposto que estes lacradores politicamente corretos usam o termo “amarelou” para alguém que se acovardou. Se eu fosse japonês iria pedir satisfação, ora, onde já se viu?!

  9. É assim que eles querem sobresair, desmoralizando os outros em público.. vai quem quer. Prefere o sucesso, a fama o dinheiro e estuprar a língua portuguesa. Nem caberia discussão se ela se respeitasse. Ou muda o vocabulário, como ele sugeriu “ovelha branca da família”.. pronto! O racismo acaba

  10. Bem triste a situação de nossa sociedade. Com a secularização, e devido à patrulha do politicamente correto; tornou-se mais louvável não parecer racista do que não ser racista.

  11. Daqui a pouco queimarão livros de história por terem relatos da peste negra, como ficou conhecida a peste bubônica do século 14 que matou muita gente na Europa e Ásia. É, minha gente, a coisa tá preta. Onde vamos parar?

    1. Ah, meu amigo, já estão fazendo isso de forma velada. Na escola onde minha esposa trabalha os professores IGNORAM os livros de história e tratam o descobrimento do Brasil como “INVASÃO”!!!!
      colégio CRISTO REI
      Vila Mariana- SP/SP

  12. Faltou informar no texto que no programa “É DE CASA” a apresentadora pediu a senhora negra que servisse às pessoas porque a dita senhora era a autora dos quitutes, e não por ser negra. Está mais pra homenagem do que menosprezo.

  13. A idiotice do politicamente correto está acabando com a Europa, infelizmente está chegando com força aqui no Brasil graças a imensidão de idiotas que tem por aqui.

  14. O problema real deste país é que existe sim, muito veado nesses meios de comunicação. Aliás, comunicar-se faz parte de sua maneira de conseguir parceiros, aí nessa seara, existem veados de todas as cores.

  15. Esse tonto da Globo é muito metidinho. O cara é um ridículo. O problema não essa besta quadrada de “penteado” esquisito e sim os hipocritas puxa-sacos de militantes e jornalistas idiotas.

  16. NEM SEI DIZER O QUANTO ISSO ME ENOJA. MAS ACHO BOM, li e reli 1984, e realmente acredito que as pessoas merecem viver daquela forma, os bananas que aqui comentam, excluo eu, passam horas ou anos em frente a seus celulares, assistindo vídeos de tiktok, shorts e na “”melhor “” das intenções deixam seus filhos assitirem Felipe neto e familia.
    Seria interessante, cruel, mas interessante se a variola do macaco, só desse em LGBT masculino por sexo descuidado não?

  17. Sendo as ovelhas brancas por natureza, uma ovelha negra seria aquela que seria diferente da maioria, então, correta a figura de linguagem da atriz, já que se referia ao comportamento humano, e não fazia alusão a raça.

    O racismo está na cabeça daqueles que a criticam, e não dela.

    1. Correto, e acrescento uma teoria: lãs de ovelhas brancas podem ser tingidas, o que tornaria uma ovelha negra menos útil ao criador. Esta expressão deve ser tão antiga …talvez cunhada por civilização que nem tivesse contato com negros. Mas, sabem como é, o importante é ser moderno, descolado e dar opinião politicamente correta e logicamente estúpida.

    2. Perfeito! Portanto a reação do apresentador não tem nada a ver com combate ao racismo e sim de controle da linguagem e do comportamento. Isto sim lembra muito o fascismo.

    3. Parabéns, meu amigo! Vc foi perfeito.
      Agora publique seu comentário nas redes sociais que incluem esse tal desconhecido ninguém lacrador de merda e a glovômito tb.

  18. O termo “ovelha negra” não tem nada a ver com “raça”, significa apenas aquele indivíduo que é diferente do resto do rebanho. Mas racistas enxergam racismo em tudo.

  19. Fica evidente a necessidade do pessoal que não possui atividades diretamente ligadas à produção de bens tangíveis e úteis à sociedade, o que significa possuírem um valor de mercado em razão da utilidade ou não de seus produtos ofertados, forçar regras, leis, normas, criminalização da fala, do pensamento e do comportamento para tentarem se valorizarem; i.e., artistas, filósofos, historiadores, cientistas sociais, jornalistas, pessoal do Direito, etc. É mais ou menos o inútil sob o aspecto da subsistência concreta à vida e do planeta, tentando impor condições para obtenção de valor maior de mercado do que efetivamente possuem.
    Triste termos deixado chegar a esse ponto!

  20. Escolho a Revista que quero e 📺 hoje Jovem Pan, pois gosto de política com análises independentes.
    Aí vou ler minha revista e tenho que me irritar com o que ocorre em CNN e globolixo.
    Já era meu, esse papo torto que não leva a nada porra.
    O “negão” aqui tá saindo prá TRABALHAR, e o do “negro” aqui não é fácil não!

  21. Baboseiras de quem não tem e não sabe o que fazer. Hipocrisia desmedida, abusando da relação humana, ligando expressões a raça. Nossa raça é humana e pronto. Esse vitimismo barato de esquerdistas é de dar náuseas. Só querem aparecer, humilhar, ser os verdadeiros “racistas” e não agregam uma hora de absolutamente nada. Somo todos iguais, somos a raça humana, e podemos ser segregados apenas como inteligentes e não inteligentes. A pobreza de caráter dessa geração mí mi mi, é um absurdo

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.