Auxílio Brasil ‘vai além’ da mera transferência de renda, afirma João Roma

'O que nós queremos é ter um programa que se consolide pela emancipação das pessoas', diz ministro da Cidadania
-Publicidade-
O ministro da Cidadania, João Roma, falou sobre o Auxílio Brasil, novo programa social do governo federal
O ministro da Cidadania, João Roma, falou sobre o Auxílio Brasil, novo programa social do governo federal | Foto: Reprodução/YouTube

Em entrevista ao programa Opinião no Ar, exibido nesta sexta-feira, 13, pela RedeTV!, o ministro da Cidadania, João Roma, afirmou que o Auxílio Brasil — programa que substitui o Bolsa Família — tem como objetivo fazer com que os beneficiários encontrem “portas de saída” e consigam se emancipar, integrando-se à economia e aumentando a renda familiar.

“O Auxílio Brasil vai além do programa de transferência de renda que entrega uma compensação para o cidadão por se encontrar em situação de vulnerabilidade. Ele busca oferecer a essa população trilhas para que possa buscar sua emancipação”, disse Roma.

Leia mais: “Bolsonaro entrega MP do Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família”

-Publicidade-

Segundo o ministro, “o que nós queremos é ter um programa que se consolide pela emancipação das pessoas”. “Que cada vez mais os brasileiros em situação de vulnerabilidade possam alcançar o direito pleno à sua cidadania”, disse Roma.

O ministro da Cidadania destacou que se trata de uma “política pública integrada, para que possa avançar dentro da estrutura social”. Ele citou o exemplo do Benefício de Prestação Continuada (BPC), que garante um salário mínimo por mês ao idoso com idade igual ou superior a 65 anos ou à pessoa com deficiência de qualquer idade.

Leia também: “‘A utilização política foi evidente’, diz ministro da Cidadania sobre Bolsa Família nos governos do PT”

“São políticas públicas como o auxílio-inclusão, assim como fizemos no BPC. No BPC, o beneficiário recebe um salário mínimo no fim do mês pela situação em que se encontra”, lembrou Roma. “Com o auxílio-inclusão, ele vai ter um benefício além do seu salário. Vai ganhar meio salário mínimo que o Estado vai ofertar. Possibilita que essa pessoa consiga galgar novos espaços na economia, na qualidade de vida e no ganho para sua renda familiar.”

Atualmente, o valor médio distribuído aos 14 milhões de beneficiários do Bolsa Família é de R$ 192. O presidente Jair Bolsonaro já disse que o benefício deve ser aumentado em, no mínimo, 50%.

Prisão de Roberto Jefferson

Durante a entrevista, João Roma também comentou a prisão preventiva do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), determinada nesta manhã pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Para o ministro, trata-se de um abuso que deveria ser revertido.

“Concorde-se ou não com as opiniões do Roberto Jefferson, temos que nos solidarizar e lamentar o ocorrido hoje. Defendo a segurança jurídica e o equilíbrio entre os Poderes”, afirmou Roma. “Não é utilizando esse tipo de ferramenta que você contribui para a consolidação da democracia no país. Espero que isso seja revertido o quanto antes.”

Leia também: “PGR foi contra prisão de Jefferson, mas respondeu fora do prazo”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro