Belo Monte, erguida a um custo de R$ 40 bi, está gerando apenas 2% de sua potência

A quarta maior hidrelétrica do mundo opera com meia turbina desde o início de agosto e deve se manter assim até o final do ano
-Publicidade-
A usina está com 18 turbinas paradas devido ao baixo volume de água
A usina está com 18 turbinas paradas devido ao baixo volume de água | Foto: Marcos Corrêa/PR

A Hidrelétrica de Belo Monte, localizada no norte do Estado do Pará, é considerada uma das maiores obras de infraestrutura do Brasil. A construção teve um custo estimado em R$ 40 bilhões e foi inaugurada em novembro de 2019. Entretanto, produz cerca de 300 megawatts (MW) por dia, o equivalente a 2,6% da potência total.

Construída como uma ‘usina a fio d’água’ — modelo que diminui os impactos ambientais, mas reduz a capacidade de armazenamento —, a hidrelétrica depende da cheia do Rio Xingu para geração de energia, que neste período enfrenta o auge da seca.

Desde o início de agosto, Belo Monte está operando apenas com meia turbina. Outras 18 estão paradas. Essa situação poderá se estender até o mês de dezembro, quando o rio deverá voltar a encher, dependendo do volume de chuvas.

-Publicidade-

Leia também: “Governo adotou medidas necessárias para evitar ‘apagão’, diz ministro”

Na época da construção, a previsão era que a usina produzisse 690 MW médios no período de estiagem. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico, no ano passado a hidrelétrica gerou 3,2 mil MW. A expectativa era produzir 4 mil MW médios.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. Isso tem conserto. Tem que construir reservatórios de regularização do rio nos trechos anteriores, a montante, como se fala em engenharia. Mais dinheiro para salvar o elefante branco de hoje!

  2. Reportagem Esquerdalha.Belo monte foi oçada em 13 BI. Por conta de Falcatruas e mesmo tirando o Lago para Girar as Turbinas , gerando 12% da nossa capacidade Energetica , os Petralhas torraram 40BI numa Hideletrica Deficiente que só gerar Prejuizo de Manutenção.e viva os Petralhas, e fumo nos Jrgues Jegues do Pão com Mortadela.

  3. Construíram essa usina a fio d’água apenas para preservar uma comunidade indígena a montante dessa obra faraônica petista, um verdadeiro desperdício de dinheiro público que teremos que amargar com os prejuízos até se desmobilizar essa porcaria inútil, não sei até quando. Enquanto estiverem todos cheio de dedos com esse índios vagabundos, é melhor mesmo não se fazer nada neste país. Bando de f.d.p!

  4. Reportagem mal feita q n condiz com padrão da revista. Teriam q colocar porque e quem impediu q a mesma tivesse um lago como reservatório e que por conta disso hj opera com essa carga inexpressiva. Gasto de 40 bilhões desperdiçado por conta da ingerência política e dos peseudo ambientalistas, isto sim é a causa de existir esse Frankenstein da Engenharia

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.