Bolsonaro assina MP que facilita a concessão de crédito a empresários

Medida também abrange pessoas físicas
-Publicidade-
O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro
O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro | Foto: Divulgação/Agência Brasil

Publicada no Diário Oficial na quarta-feira 10, a medida provisória 1.028 de 2021 suspende uma série de exigências para a contratação de operações de crédito com instituições financeiras — como os bancos — no país. A redução da burocracia será tanto para pessoas jurídicas (empresas) quanto para pessoas físicas (empréstimos pessoais).

Leia também: “‘Brasil é o inferno dos rentistas e o paraíso dos empreendedores’, afirma Guedes”

O dispositivo vale até 30 de junho deste ano. Uma revogação, entretanto, é permanente: a da necessidade de apresentação de Certidão Negativa de Débitos (CND) pelas empresas em empréstimos com recursos oriundos da poupança.

-Publicidade-

O governo federal alega que o objetivo da medida é simplificar a análise de crédito para empresas e pessoas físicas que estejam enfrentando dificuldades em razão da pandemia.

Confira os documentos que os bancos não precisam mais requisitar

– Entrega da Relação Anual de Informações Sociais (Rais);

– Quitação das obrigações eleitorais;

– Certidão Negativa de Inscrição em Dívida Ativa da União (sendo necessário estar em dia com o Instituto Nacional do Seguro Social/INSS);

– Regularidade com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS);

– Certidão Negativa de Débito (CND) da empresa na contratação com o Poder Público e no recebimento de benefícios, incentivo fiscal ou creditício concedido por ele, e nas operações de crédito que envolvam recursos públicos, inclusive os provenientes de diversos fundos

– Regularidade com o Imposto Territorial Rural (ITR) para obtenção de crédito rural;

– Regularidade no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin) nas operações de crédito com recursos públicos;

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

  1. Os governos anteriores repassaram a entes privados a função de fiscalização, com possíveis penalidades no caso de eventual falha. Então, ou não tinha crédito ou tinha corrupção. Excelente medida da dupla JB-Guedes.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro