Butantan pode ser multado em R$ 30 milhões por quebra de contrato, informa Ministério da Saúde

Pasta argumenta que o instituto paulista negociou doses da CoronaVac antes de cumprir acordo com o governo federal
-Publicidade-
O governador de São Paulo, João Doria, ao lado do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e do vice-presidente mundial da Sinovac, Weining Meng | Foto: Governo do Estado de São Paulo
O governador de São Paulo, João Doria, ao lado do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e do vice-presidente mundial da Sinovac, Weining Meng | Foto: Governo do Estado de São Paulo

O Butantan recebeu uma notificação do Ministério da Saúde (MS). Na quarta-feira 22, a pasta informou que o laboratório negociou doses da CoronaVac a Estados antes de concluir o contrato de 100 milhões de unidades que tem com o governo. Um termo no documento determina a exclusividade do MS com o instituto paulista até que o último lote seja entregue.

Como noticiamos ontem, o Butantan anunciou a venda direta de 2,5 milhões de imunizantes a cinco Estados: Mato Grosso, Piauí, Pará, Ceará e Espírito Santo. Na semana passada, o instituto comunicou haver concluído as entregas ao Programa Nacional de Imunizações. No entanto, o laboratório considerou doses da CoronaVac embargadas por autoridade sanitária.

A quebra do acordo pode custar R$ 30 milhões ao Butantan.

-Publicidade-

Leia também: “Precisamos falar sobre a CoronaVac”, reportagem publicada na Edição 67 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

14 comentários Ver comentários

    1. O desgraçado é tão ruim que nem a vacina consegue imunizar, eu aconselho ele e esse governo de assassinos tomarem barbitúricos, aí sim, estarão imunizados para sempre, junto ao diabo.

  1. Esse mau caráter do Dória em quem equivocadamente ex tucano votei, está desequilibrado na tentativa de atingir o poder e prejudicar o PNI do Ministério da Saúde. Desde o inicio da vacinação fez um programa de vacinação para inicio em 25/01 (marqueteiro) sem sequer ter apresentado o resultado dos testes a ANVISA que obtiveram o pífio resultado de 50,38% de eficácia, contestado em artigo do prof. Fernando Reinach que seguindo a metodologia seria 49,62% portanto reprovado pela ANVISA, que sequer autorizaria o uso emergencial com restrições.
    Com o PNI implantado para inicio em 18/01 , esse marqueteiro inicia dia 17/01 com tv, assessores marqueteiros cientistas, choro e tudo mais.
    Agora, segundo o que divulga a imprensa esta em 2o. lugar no País, com mais de 50% de vacinação enquanto a maioria dos estados estão por volta de 30%, e conforme afirmou o Ministro Queiroga o PNI para adolescentes programada para Setembro foi indevidamente antecipado em agosto por SP e alguns estados. Como pode haver um PNI Nacional com esse comportamento dos DORIAS de nosso país?
    Entendo até que a ANVISA errou ao aprovar a vacina da Pfizer para os adolescentes por tecnicamente desnecessário para o momento que ainda temos muita população adulta para 1a. e 2a. doses. Por que não esperar a aprovação de outro imunizante como ASTRAZÊNECA para esse público adolescente, dados os requisitos de armazenamento e refrigeração da PFIZER?. Será que os adolescentes dos sertões do país serão também assistidos por PFIZER? E a PFIZER que futuramente produzirá essa vacina no país, vai continuar não se responsabilizando por efeitos adversos?

  2. Isso é o que acontece quando um Instituto renomado internacionalmente cai nas malhas de um canalha vagabundo como o Agripino. Ou alguém duvida que por de trás dessas falcatruas tem o dedo desse pulha?

  3. O desespero de Diogi Mainardi, um pai irresponsável e um blogueiro fracassado, um dos donos do blog antagonista já em falencia, passou dos limites. Está torcendo para Lula ser presidente.

    1. Mainardi e um indivíduo frustrado com o mundo, daí sua agressividade, minha sabia mãe sempre me disse, livra-te daqueles marcados por Deus.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.