Carrefour reverterá arrecadação do dia 20 a programas antirracismo

Ação foi tomada como medida de reparação à morte de um cliente negro em uma de suas lojas em Porto Alegre (RS)
-Publicidade-
Loja do Carrefour | Foto: Google Maps
Loja do Carrefour | Foto: Google Maps

Ação foi tomada como medida de reparação à morte de um cliente negro em uma de suas lojas, em Porto Alegre (RS)

Loja do Carrefour | Foto: Google Maps

A rede de supermercados Carrefour anunciou que o valor arrecadado com as vendas em todas as lojas nesta sexta-feira, 20, será revertido em medidas de combate ao racismo. A ação foi tomada como forma de reparação à morte de um cliente negro em uma de suas lojas em Porto Alegre (RS), na noite de ontem. Mas a empresa ressalta que a quantia não é suficiente para reduzir a perda de uma vida humana. “O valor será destinado de acordo com orientação de entidades reconhecidas na área. Essa quantia, obviamente, não reduz a perda irreparável de uma vida, mas é um esforço para ajudar a evitar que isso se repita”, afirmou em nota.

-Publicidade-

Leia também: “Damares põe pasta à disposição de família de homem negro assassinado em Porto Alegre”

A companhia também anunciou outras medidas, entre elas, a instauração de investigação interna para apurar o ocorrido; a demissão do funcionário que estava no comando da loja no horário do crime e a suspensão do contrato com a empresa de segurança responsável pelos agentes envolvidos na morte de João Alberto Silveira Freitas. Ainda, está previsto o atraso por duas horas na abertura de todas as lojas amanhã, para orientação de colaboradores. O Carrefour informa que dará assistência à família da vítima.

Entenda o caso

Na noite da quinta-feira 19, João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, foi morto por dois homens. Um deles era segurança do supermercado e o outro, um policial militar temporário que fazia compras no local.

Segundo o relato da Polícia Civil gaúcha, por se recusar a sair da loja, Freitas foi conduzido até o estacionamento e, durante o trajeto, teria dado um soco em um dos vigias. Os agentes envolvidos na morte foram acusados de homicídio e presos em flagrante. Eles ainda podem ser autuados por homicídio triplamente qualificado.

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Mas que coisa pessoal! Não houve racismo! Houve injustiça em todos os âmbitos. A vítima foi injusta, os seguranças foram injustos, a sociedade foi injusta, a JUSTIÇA foi injusta. Para mim a JUSTIÇA foi a maior culpada do ocorrido, pois a vítima já deveria estar incomodando há tempo, desde BOs efetuados pela própria esposa, família e transeuntes do supermercado.
    Nenhuma morte é justificável, mas a vítima criou todas as condições para que isso acontecesse.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site