Cartunista Nani morre aos 70 anos vítima de covid-19

Durante a carreira, o cartunista abordou temas espinhosos da política e satirizou o politicamente correto
-Publicidade-
O cartunista nasceu em 1951 e se tornou um dos grandes nomes dos quadrinhos
O cartunista nasceu em 1951 e se tornou um dos grandes nomes dos quadrinhos | Foto: Reprodução

O cartunista, escritor e roteirista Ernani Diniz Lucas, conhecido como Nani, morreu nesta sexta-feira, 8, aos 70 anos, vítima de covid-19. Natural da cidade de Esmeralda, em Minas Gerais, Nani tinha sido internado há uma semana em Belo Horizonte.

Segundo a família, o mineiro estava fazendo isolamento em sua cidade natal desde o início deste ano, quando se mudou do Rio de Janeiro, mas foi infectado pelo coronavírus.

Carreira

-Publicidade-

O cartunista nasceu em 27 de fevereiro de 1951. Aos 20 anos, começou a carreira publicando charges no periódico mineiro O Diário. Em 1973, mudou-se para o Rio de Janeiro.

Ao longo da trajetória profissional, colaborou com o jornal O Pasquim e foi chargista do jornal O Globo. Também publicou em veículos como Jornal dos Sports, Última Hora e O Dia. Na TV Globo, Nani trabalhou como roteirista ao lado de Chico Anysio (1931-2012) por 20 anos.

Durante sua carreira, o cartunista nunca se furtou de abordar temas espinhosos da política nem de satirizar o politicamente correto. Nani foi reconhecido por premiações em Salões de Humor em Montreal, Niterói e Piracicaba como um dos grandes nomes dos quadrinhos no Brasil.

Leia também: “Humor sem medo”, reportagem publicada na Edição 79 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.