Comissão que trata do voto auditável inicia os trabalhos hoje

Para vigorar durante as eleições de 2022, o Congresso Nacional precisa aprovar a medida até outubro deste ano
-Publicidade-
Em 2015, o Congresso Nacional aprovou o voto impresso no Brasil
Em 2015, o Congresso Nacional aprovou o voto impresso no Brasil | Foto: Nelson Jr./ASICS\TSE

Nesta segunda-feira, 17, a Comissão Especial para debater a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata do voto auditável terá sua primeira reunião na Câmara dos Deputados. Criado na quinta-feira 13, o grupo estuda a adoção da impressão dos votos para permitir a recontagem do resultado eleitoral. Para vigorar durante as eleições de 2022, o Congresso Nacional precisa aprovar a medida até outubro deste ano.

“A gente tem pressa porque a gente precisa estar com essa PEC aprovada no início de outubro para valer no ano que vem”, comentou a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), autora do projeto. “É muito importante porque sabemos que temos eleições muito acirradas e não pode existir nenhum tipo de dúvida.”

O voto impresso foi aprovado em 2015

-Publicidade-

Em 2015, o Congresso Nacional aprovou o voto impresso no Brasil. A ex-presidente Dilma tentou vetar trechos do texto, mas o Parlamento derrubou os vetos e a lei foi promulgada. Entretanto, em 2018, o Supremo Tribunal Federal barrou a implantação de forma provisória — em setembro de 2020, a Corte confirmou a decisão e declarou inconstitucional a impressão do voto.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Pior ainda foi o ex ministro e presidente do STF dr. Carlos Velloso ter publicado em 23/04 pg. A2 do Estadão o artigo “Urnas eletrônicas, garantia de respeito ao voto do eleitor”, no qual assim produz uma desinformação (FAKE) sobre o VOTO IMPRESSO:
    “Mas o que alguns políticos desejam é a impressão da confirmação do voto do eleitor em fulano ou beltrano, o que quebraria o sigilo do voto, com ofensa à Constituição. O VOTO IMPRESSO seria ótimo para os caciques políticos, que exigiriam a apresentação do comprovante do voto em fulano ou beltrano”.
    Ora bolas, como todos sabemos o VOTO IMPRESSO é blindado e portanto não pode ser retirado pelo eleitor para comprovar p…. nenhuma. Logo, ou o ex presidente do STF não conhece a Lei ou usa de má fé em artigo ao público. Penso que é grave, e pior não vi nenhuma AGÊNCIA noticiar tamanha FAKE.

  2. O Voto impresso é imprescindível para o futuro na Nação Brasileira.
    Não podemos permitir o absurdos da suprema vergonha . Nunca mais! A próxima dia as ruas será com um cabo e um soldado a frente dos brasileiros de bem.
    Levar vantagem e se achar blindado pelo sistema deve acabar! Bandidos e corruptos devem tomar banho frio e ver o sol nascer quadrado.

  3. Interessante que uma simples atitude para deixar a política maus transpatente através do voto impresso exige imensa movimentação do país inteiro.

  4. Inconstitucional é o stf interfir no legislativo e proibir voto impresso. É a maior prova de que existem votos fraudados para eleger seus apadrinhados. Em qualquwr lugar do mundo esse stf já teria sido destituido.

  5. Depois de assistir a esse vídeo indicado abaixo somente os habitantes do Sétimo Anel de Saturno continuarão acreditando na conversa aparentemente ingênua de Luis Roberto Barroso, pasme-se, Presidente do TSE e também Ministro do STF – mas como bem sabem aqueles que conhecem o personagem, não há ingenuidade alguma na conduta desse ativista judicial que trabalha abertamente em favor de uma agenda que interessa ao PCB – refiro-me, não ao Partido Comunista Brasileiro, mas ao Partido Contra o Brasil.

    Canal da Paula Marisa – 17.Mai.2021
    (Sobre o Voto Impresso ou Voto Auditável)
    Jogando verdades na cara do ministro Barroso
    https://www.youtube.com/watch?v=dgg7pyHX2ns – (00:30:46)

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.