Conass desafia governo e não exigirá prescrição médica para vacinar crianças

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também se manifestou contra a determinação do Ministério da Saúde
-Publicidade-
Governo federal e secretários de Saúde estão em rota de colisão por causa da vacinação de crianças contra a covid-19
Governo federal e secretários de Saúde estão em rota de colisão por causa da vacinação de crianças contra a covid-19 | Foto: CDC/Unsplash

Em carta divulgada nesta sexta-feira, 24, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) desafiou abertamente as determinações do governo federal e descartou a obrigatoriedade de apresentação de prescrição médica para a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19.

Ontem, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a pasta deve autorizar a imunização dessa faixa etária — seguindo recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) —, mediante apresentação de prescrição médica e assinatura de um termo de consentimento.

Em uma carta supostamente endereçada às “crianças brasileiras”, o presidente do Conass, Carlos Eduardo de Oliveira Lula, afirma que o órgão pretende “facilitar a vacinação de todos os brasileirinhos”.

-Publicidade-

“É esse recado que queremos dar no dia de hoje, véspera de Natal: quando iniciarmos a vacinação de nossas crianças, avisem aos papais e às mamães que não será necessário nenhum documento de médico recomendando que tomem a vacina. A ciência vencerá”, diz a nota. “A fraternidade vencerá. A medicina vencerá e vocês estarão protegidos.”

Além do Conass, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), também se manifestou nesta sexta contra a obrigatoriedade de apresentação de prescrição médica para a vacinação do público infantil contra a covid-19.

“Aqui não vai precisar de atestado para vacinar crianças, não. Vejam o que diz o parágrafo primeiro do artigo 14 do Estatuto da Criança e do Adolescente”, escreveu Paes em sua conta oficial no Twitter, citando um trecho da legislação. O parágrafo único do ECA aponta que “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”.

Está em andamento uma consulta pública aberta pelo Ministério da Saúde sobre o tema. A autorização para a vacinação de crianças contra a covid-19 deve ser formalizada a partir do dia 5 de janeiro, quando termina a consulta pública e também o prazo dado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para o governo se manifestar a respeito do assunto.

Leia também: “A era do pânico”, reportagem publicada na Edição 90 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

17 comentários Ver comentários

  1. É enojante e assustador o número de funcionários públicos, privados, dirigentes de conselhos e associações e obviamente políticos magistrados e militares com tendências e comportamentos ditatoriais. Eu fico pensando o que foi que nós eleitores e pagadores de impostos fizemos nos últimos 35, 40 anos para produzir tantos comunistas/socialistas em inúmeros setores da nossa sociedade??

  2. Simples. O CONASS e esse bandido travestido de prefeito do Rio se responsabilizam pelos casos decorrentes da vacinação obrigatória.

  3. Passou da hora da desobediência civil prevalecer. N vacinem seus filhos menores com essa merda q n tem validade nenhuma contra a Covid. Milhares ja tomaram essa merda e contrairam a doença. Alguém conhece uma criança q tomou vacina contra paralisia infantil e teve a doença ? Não certo, isso sim é uma vacina eficaz e n essa merda q ai está. E esse babaca do Conass junto com o outro babaca do Eduardo Paes ficam ai falando besteira.

  4. O CONASS e Carlos Eduardo de Oliveira “LULA”, assumirão a responsabilidade por eventos adversos que a PFIZER não quer assumir?
    Ohhh!!! ANVISA, que fragilidade entregar a autorização para a Pfizer vacinar crianças acima de 3 anos, quando ainda não vacinamos a população adulta sequer com a 2a. dose e a de reforço. No passado a ANVISA foi criticada exatamente por essa gente, porque parecia severa exigindo comprovação, 3 fases de testes de segurança e eficácia e outros requisitos, e agora libera para os “leões” que ainda não vacinaram os adultos, para fazer politica suja como esse palhaço tentando falar com crianças e não com os pais? O cara é tão maluco como o marqueteiro Dória que já foi ao STF para conquistar mais fama para o poder.

  5. E os marginais encabidados desde a era petista, atrapalhando e polemizando um assunto dessa grandeza. Esse cidadão, que nem médico é, é apenas mais um cão do sistema esquerdista, ex candidato pelo pt, carrega até o nome do capeta, não tem embasamento científico nenhum para essa barbárie. Claro que ele não deve nem ter filho, porque não se procriam, mas quem os tem, deve ter muita cautela com o que os filhos recebem como “medicamentos”. Nosso país tem que dar um 360 graus para se livrar de todo esse lixo.

  6. essa matéria lembra um artigo memorável de J. R. Guzzo: “Quem manda nessa droga”? – a propósito, observem o nome do valentão que preside o CONASS: Carlos Eduardo de Oliveira “Lula” – precisa dizer alguma coisa a mais?

  7. Não assinarei termo de consentimento algum e se meus filhos não puderem frequentar escolas, ótimo. A educação está uma bosta mesmo, só que terão de autorizar o homeschooling.

  8. Vacina testada durante apenas 2 meses nesse público conformoe divulgado pelo fabricante. Hospitais com caso baixos ou zero de covid19. Vacina já comprovada que não impede a infecção. Vários outros fatos que fortalece a não aplicação de vacinas experimentais em crianças.

  9. Em nome da Siença, os inocentes serão inoculados com esse experimento que faz mal até prós adultos, as crianças que não são grupo de risco, eu tenho vontade de olhar na cara de casa um desses “médicos” do “conselho” e desses perfeitinhos ditadores e dizer tudo que tenho vontade 🤨

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.