Aliada do governo sugere correção periódica de números sobre coronavírus

Deputada Carla Zambelli recomenda revisão de números relatados por secretarias de Saúde. Objetivo é dar transparência a dados sobre a mortes e infecções equivocadamente atribuídos à covid-19
-Publicidade-
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Técnicos do governo apontam o desinteresse de algumas Secretariais Estaduais de Saúde em revisar os números da covid-19

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
-Publicidade-

O gabinete de crise que administra e monitora o enfrentamento do coronavírus tem todas as ferramentas para evoluir. Inclusive, dar mais transparência e alento aos brasileiros. É o que recomenda a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP). Ela fez sugestões relevantes à Casa Civil, responsável pela coordenação. Entre elas, a de corrigir periodicamente os dados oficiais de pessoas mortas e contaminadas pela covid-19.

O Centro de Coordenação das Operações do Comitê de Crise da Covid-19 tem toda uma estrutura de computadores ligados a um programa de business intelligence. O sistema é tão sofisticado que torna possível a revisão de números pregressos referentes ao coronavírus. Contudo, isso ainda não está implementado.

Por recomendação de Zambelli, o governo sinalizou os esforços para manter os dados sempre transparentes. Para isso, vai ter de recolher dados de dias anteriores e dependerá de algumas secretarias de Saúde estaduais. O problema é a boa vontade das pastas. Técnicos do governo apontam o desinteresse de algumas delas em revisar os números.

Morte negativa

Um caso recente relatado a Zambelli pelo governo aponta um episódio de “morte negativa”. Em um dos dias consultados no sistema, é possível identificar -1 morte em um Estado. O caso atípico decorre de situações em que a secretaria estadual relata um caso de morte por coronavírus por falso positivo. Ao corrigir o teste, descobre-se que a morte ocorreu por outro fator.

Ainda não é possível garantir se esse tipo de situação é um caso corriqueiro ou não. Por via das dúvidas, a recomendação de Zambelli é para que os dados sejam “auditados” constantemente. “Comentei que poderiam começar a contabilizar esse número, porque parte da população anda desconfiada. É importante para toda a população essa revisão”, destaca.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Carla Zambelli está certíssima. Não acredito nos números divulgados pelos Estados e Municípios. As Secretaria Estaduais e Municipais são paus mandados dos Governadores e Prefeitos. Minha amiga perdeu uma irmã (em Ribeirão Preto), acometida de infarto fulminante (já era cardíaca há muitos anos) e no Atestado de Óbito xonstou Corona Virus. A família reclamou mas disseram que eram orden do Dorinóquio. A família está inconformada. Será que se houver indenizações futuras por causa do Corona (como o Witzel fez no Rio) a família terá direito?

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site