-Publicidade-

Anvisa flexibiliza regra para liberar uso emergencial de vacinas no Brasil

Decisão abre caminho para entrada de outros imunizantes no país
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
anvisa - pedidos de uso emergencial de vacinas contra a covid-19
Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) atualizou nesta quarta-feira, 3, os critérios para pedidos de uso emergencial de vacinas no combate à covid-19. Com a alteração, não será mais obrigatório que os testes de fase 3 de imunizantes sejam realizados no Brasil. Segundo o gerente de medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, o estudo de fase 3 deve ser “preferencialmente” conduzido também no país. A decisão pode facilitar a importação de vacinas como a Sputnik V e a da Moderna, que têm estudos dessa fase com resultados publicados em revistas científicas mas conduzidos fora do Brasil.

Leia também: “Sputnik V tem eficácia de 91,6%, apontam resultados preliminares”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês