-Publicidade-

Belo Horizonte fecha comércio por tempo indeterminado

Medida foi anunciada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) na quarta-feira 6
Lojas de rua e de <i>shoppings</i> não estão abertas
Lojas de rua e de shoppings não estão abertas | Foto: Reprodução

Belo Horizonte voltou a amanhecer nesta segunda-feira, 11, com as portas das lojas de rua e de shoppings fechadas. A exceção são as atividades consideradas “essenciais”, como padarias, supermercados e postos de gasolina.

O novo fechamento foi anunciado pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) na quarta-feira 6 e oficializado em decreto publicado na sexta-feira 8. As medidas começam a valer a partir desta segunda, por tempo indeterminado.

Além dos serviços essenciais, praças públicas permanecerão abertas, ao contrário do que aconteceu no início do ano passado com cinco grandes praças, assim como os parques públicos e o zoológico da cidade, com visitas agendadas previamente.

Além disso, qualquer estabelecimento pode funcionar no sistema de delivery e de drive-thru, além de retirada na porta, no caso de bares e restaurantes.

Segundo a prefeitura, mesmo com as restrições, um total de 153.947 empresas de serviços e de atividades essenciais continuará autorizado a funcionar.

Representantes do comércio reagiram à decisão da prefeitura e pediram reunião com o prefeito. Houve protestos de algumas categorias, como os de donos de academias.

Leia também: “Alexandre Kalil acredita ser ‘rei’, reclama vereador de BH”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês