-Publicidade-

CoronaVac não apresentou resultado ‘esperado’, diz gerente da Anvisa

Mesmo assim, Gustavo Mendes Lima sugere aprovação do imunizante
Gerente da Anvisa critica eficácia da CoronaVac
Gerente da Anvisa critica eficácia da CoronaVac | Foto: Reprodução

O gerente-geral de medicamentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gustavo Mendes Lima, criticou a CoronaVac. Em apresentação durante reunião do órgão neste domingo, 17, ele afirmou que o imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac Biotech ficou aquém do que se imaginava para um projeto de combate ao novo coronavírus.

Leia mais: “Covid-19: homem é contaminado após receber doses da vacina da Pfizer”

“Não foram apresentados os resultados da avaliação de imunogenicidade ao longo do tempo para esse estudo, de acordo com o que era esperado e definido no protocolo”, afirmou Mendes Lima. “Os dados fornecidos de imunogecidade da CoronaVac não são quantitativos, são qualitativos e, por isso, não foram considerados adequados”, enfatizou o gerente-geral de medicamentos da Anvisa.

Como gerente de área técnica, o papel de Mendes Lima foi justamente apresentar a sua análise sobre a CoronaVac e a vacina da Universidade de Oxford. As aprovações — ou não — dos imunizantes serão definidos pelos cinco diretores do órgão.

Sem resultado ‘esperado’, mas…

Apesar de criticar publicamente os resultados apresentados pela CoronaVac no combate ao novo coronavírus, o gerente-geral de medicamentos sugere a aprovação do uso emergencial da vacina. De acordo com Gustavo Mendes Lima, essa medida se faz necessária devido à falta de alternativas presentes no Brasil contra a pandemia.

“A gerência recomenda a aprovação do uso emergencial da CoronaVac, com acompanhamento das incertezas”

“A recomendação, como área técnica, é que, tendo em vista o cenário da pandemia, aumento do número de casos e ausência de alternativas terapêuticas, a gerência recomenda a aprovação do uso emergencial da CoronaVac, com acompanhamento das incertezas que ainda temos e reavaliação periódica”, afirmou. Além dele, a gerência de monitoramento de produtos e a coordenação de inspeção de insumos da Anvisa também irão apresentar suas análises sobre os dois projetos de vacina.

Acompanhe: “Anvisa decide hoje sobre uso emergencial de vacinas”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. Sim! E agora, vão dar opção ao cidadão para escolher ou vai ser mais um teste para saber qual é a mais eficiente? O Dória deve ser processado, mentiu o tempo todo afirmando a eficácia dessa coisa, jogando e desestabilizando a população que agora fica entre a cruz e a espada literalmente.

  2. Algo não bate. Se o cidadão é assintomático para que tomar? Se o cidadão já contraiu o vírus e está imunizado,para quê tomar? E se a pessoa contrair o vírus e ter Covid 19 , Com 50% de eficácia da vacina qual o ganho? Se a Ciência diz que pode tomar uma vacina não aprovada em seu todo , os negacionistas vão aprovar o tratamento precoce ou vai continuar propondo ir procurar médico só quando faltar AR?

  3. Para os chineses, a vacina cumpriu exatamente o combinado. 22 bilhões só do contribuinte paulista. “Foi bom fazer negócio com vocês, otários”.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês