Coronavírus: Fiocruz começa a produção da vacina da Oxford

Até o fim de fevereiro, a fundação brasileira pretende fabricar o total de 15 milhões de doses do imunizante
-Publicidade-
Em 6 de fevereiro, a Fiocruz recebeu 90 litros do ingrediente farmacêutico ativo
Em 6 de fevereiro, a Fiocruz recebeu 90 litros do ingrediente farmacêutico ativo | Foto: Cadu Rolim/Estadão Conteúdo

No Brasil, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) começou a produzir a vacina experimental contra o coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. De acordo com informações prestadas pela instituição brasileira, o envase começou na sexta-feira 12.

Leia também: “Vacina da Oxford: Fiocruz produzirá 700 mil doses por dia”

-Publicidade-

No dia 6 de fevereiro, a Fiocruz recebeu 90 litros ingrediente farmacêutico ativo (IFA). Esse volume permite a produção de 2,8 milhões de doses da vacina. Cerca de 400 mil doses serão produzidas para pré-avaliar o controle de qualidade na produção.

Até o fim deste mês, com a chegada de mais IFA, a fundação brasileira pretende fabricar o total de 15 milhões de doses do imunizante.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site