Confinar pessoas saudáveis é ‘ditadura’, diz médico

Alessandro Loiola se posiciona contra medidas restritivas
-Publicidade-
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil | 3 milhões de recuperados - covid-19 - brasil

Alessandro Loiola se posiciona contra medidas restritivas

3 milhões de recuperados - covid-19 - brasil
Foto: Agência Brasil
-Publicidade-

Estratégias de isolamento social como forma de combate à disseminação do novo coronavírus tendem a não ter êxito. Essa é a análise do médico Alessandro Loiola. Ele defendeu esse ponto de vista na noite desta sexta-feira, 27, ao ser entrevistado pela rádio Jovem Pan.

Leia mais: “Coronavírus: internações e mortes por SRAG não aumentam no Brasil”

De acordo com Loiola, ações como lockdown não visam proteger a sociedade da covid-19. Para ele, que faz parte do movimento denominado Médicos pela Liberdade, esse tipo de decisão busca, sobretudo, manter o ritmo operação de hospitais — evitando colapso em caso de grande volume de pacientes infectados no mesmo período e precisasse de cuidados médicos.

Nesse sentido, ele defendeu que o isolamento social só deve ser feito com quem seja diagnosticado com a doença. “Quando você isola pessoas doentes, tudo bem. A gente tem um tipo de quarentena vertical, que seria até justificável”, comentou o médico. “Quando você começa a isolar pessoas saudáveis, isso não chama quarentena. Isso chama ditadura”, disse Loiola ao participar de Os Pingos nos Is. No programa, ele respondeu a questionamentos de três colunistas da Revista Oeste: Guilherme Fiuza, Ana Paula Henkel e Augusto Nunes.

Mais: “À espera de vacina, Salvador cancela Carnaval em fevereiro”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comments

  1. Sou da seguinte opinião: Não me importo em ser confinado, desde que o estado me dê um bom salário e deposite todo primeiro dia útil de cada mês e sem atraso, faça minha feira de supermercado e a entregue na minha porta, forneça o pão quentinho, pontualmente às 6:45 hs, tudo bem!
    Será que o estado consegue essa façanha com todos nós?

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site