Covid-19: eficácia da ivermectina será avaliada por médicos brasileiros

Estudo irá verificar se o medicamento, ministrado em doses altas, é eficaz no combate à doença
-Publicidade-
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A eficácia da ivermectina contra a covid-19 será avaliada através de um ensaio randomizado triplo cego — quando os participantes não sabem se receberam o remédio ou o placebo, nem o cientista tem conhecimento se está avaliando os dados de pacientes que receberam ou não a medicação. Os pesquisadores irão verificar os efeitos do tratamento com doses mais altas da medicação na primeira fase da doença. O estudo já foi aprovado pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) e será liderado pelo endocrinologista Flávio Cadegiani.

Leia também: “Coronavírus: países que distribuem ivermectina têm menos mortes e casos confirmados”

De acordo com o diretor médico do estudo, infectologista Ricardo Zimerman, a pesquisa é necessária porque os ensaios clínicos feitos até o momento demonstraram que a eficácia da ivermectina contra a covid-19 varia conforme a dose administrada.

-Publicidade-

O trabalho também está entre os primeiros do mundo que recebem a aprovação para recrutar pacientes sem a necessidade de exame laboratorial, bastando o diagnóstico clínico da doença — o que reduz o tempo de espera para iniciar o tratamento.

O estudo faz parte de uma iniciativa encabeçada pelo médico Andrew Hill da Universidade de Liverpool no Reino Unido — médico que já reuniu cientistas de 13 países, num total de 18 trabalhos sobre o uso desta medicação contra a doença causada pelo coronavírus.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.