Covidão em SP: Gaeco cumpre mandados de busca e apreensão em 5 cidades

Investigação apura "eventuais irregularidades" em contrato emergencial na área da saúde
-Publicidade-
Foto: CANVA
Foto: CANVA | covidão em sp - bertioga

Investigação apura “eventuais irregularidades” em contrato emergencial na área de saúde

covidão em sp - bertioga
Foto: CANVA
-Publicidade-

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) deflagrou operação na manhã desta sexta-feira, 17, e cumpriu 12 mandados de busca e apreensão. A ação investiga um contrato milionário no âmbito do “Covidão” e é realizada em cinco municípios paulistas: São Paulo, Santo André, Suzano, Mogi das Cruzes e Bertioga.

Leia mais: “Respirador roubado em Rondônia é encontrado em Minas Gerais”

Localizada no litoral paulista, Bertioga é o centro da operação. De acordo com o Gaeco, a investigação ocorre para apurar “eventuais irregularidades” no Contrato Emergencial de Prestação de Serviços firmado entre a prefeitura e a empresa Portela Mercantil e Prestação de Serviços. Com custos de R$ 483 mil aos cofres públicos da cidade, a parceria visava a locar equipamentos de saúde, além de instalar dez leitos de UTI.

Nesse sentido, o Gaeco apura a possibilidade de conluio entre as “diversas empresas envolvidas no referido processo administrativo e na execução do contrato celebrado”. Para o grupo, contudo, os problemas não param por aí. Suspeita-se que o material entregue à prefeitura não seja de primeira linha.

“Equipamentos médicos velhos e descontinuados, alguns até fora de uso”

“Além disso, há suspeita de que as empresas investigadas obtêm, no mercado clandestino, equipamentos médicos velhos e descontinuados, alguns até fora de uso. Eles recebem adaptações totalmente à revelia dos respectivos fabricantes, de modo que parte destes equipamentos acaba se mostrando inservível. Outros equipamentos, embora aparentemente funcionais, podem estar funcionando de maneira inadequada, colocando em risco, inclusive, a vida das pessoas que venham a fazer uso deles”, informam os responsáveis pela investigação.

Covidão em SP

A operação deflagrada na manhã desta sexta pode ser classificada como um “Covidão em SP” com conexão com a Região Norte do Brasil. Isso porque a então secretária de Saúde de Bertioga, Simone Papaiz, foi a responsável pela assinatura do contrato suspeito. Posteriormente, ela deixou o cargo para assumir a Secretaria de Saúde do Amazonas. Alvo da Operação Sangria, da Polícia Federal, ela foi presa em 30 de junho.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.