Duas vacinas contra covid-19 já estão em vias de produção no Brasil

Chinesa Coronavac deve começar a ser produzida pelo Instituto Butantan ainda este mês e russa Sputinik 5, pela União Química em dezembro.
-Publicidade-
Vacinas chinesa e russa já estão prestes a começar a fabricação no Brasil, mas Anvisa ainda precisa aprovar aplicação | Foto:  CDC/Unsplash
Vacinas chinesa e russa já estão prestes a começar a fabricação no Brasil, mas Anvisa ainda precisa aprovar aplicação | Foto: CDC/Unsplash | vacinas, produção, china, coronavac, rússia, sputinik 5, coronavírus, covid-19

Chinesa Coronavac deve começar a ser produzida pelo Instituto Butantan ainda este mês e russa Sputinik 5, pela União Química em dezembro

vacinas, produção, china, coronavac, rússia, sputinik 5, coronavírus, covid-19
Vacinas chinesa e russa já estão prestes a começar a fabricação no Brasil, mas Anvisa ainda precisa aprovar aplicação | Foto: CDC/Unsplash

Pelo menos duas vacinas já têm data para começarem a ser produzidas no Brasil. A chinesa Coronavac deve sair dos laboratórios do Instituto Butantan em São Paulo a partir deste mês.

-Publicidade-

O governo de São Paulo, responsável por trazer o imunizante chinês ao Brasil, apresentou os resultados da terceira fase de testes nesta segunda-feira, 19, e garante que ela é eficaz e segura.

Com 46 milhões de doses compradas, a vacinação no Estado deve ter início em 15 de dezembro, pelos profissionais de saúde. Será preciso duas doses para tornar a imunização efetiva e, ainda de acordo com o governo, a vacina pode provocar efeitos colaterais em 35% das pessoas.

Já a russa Sputinik 5 será produzida no Brasil a partir de dezembro pela farmacêutica brasileira União Química.

Índia, China e Coreia do Sul também compraram a tecnologia para fabricar o imunizante.

De acordo com o Instituto Gamaleya, responsável pelo desenvolvimento do produto, não há efeitos colaterais graves e a vacina garante até dois anos de imunidade contra o coronavírus.

Contudo, a terceira fase de testes com voluntários ainda não foi totalmente concluída.

Ambas dependem do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem aplicadas na população.

O presidente Jair Bolsonaro lembrou hoje também que a vacina não será obrigatória.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. Sâo vacinas RNAm, que modificam o código genético de quem toma permanentemente…..a única que é segura é a de Oxford, pois utiliza apenas parte do vírus inativo. Fujam !

  2. É absurda a posição do carreirista João Dória em querer obrigar a população tomar uma vacina sem eficácia comprovada, muito menos segurança e feita apressadamente. Para ter validade precisamos de tempo e análise. O que não ocorre em menos de 5 anos. Só quem vai tomar a vacina chinesa são os comissionados do Dória, os ignorantes e os que estão em pânico. Não tomem nem a vacina chinesa, nem a russa ou qualquer uma que tenha sido feita a toque de caixa. Prisão para Dória!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site