Juiz impõe ‘lockdown’ em Búzios (RJ)

Atividades econômicas estão suspensas e turistas têm até 72 horas para deixar o município
-Publicidade-
Prefeitura estuda recorrer da decisão | Foto: Divulgação/iStock
Prefeitura estuda recorrer da decisão | Foto: Divulgação/iStock | Prefeitura estuda recorrer da decisão | Foto: Divulgação/iStock

Atividades econômicas estão suspensas e turistas têm até 72 horas para deixar o município

juiz impõe 'lockdown'
Prefeitura estuda recorrer da decisão | Foto: Divulgação/iStock

O juiz Raphael Campos, da 2ª Vara de Búzios, determinou que a prefeitura restabeleça a bandeira vermelha no município, que significa ampliar restrições aos direitos das pessoas. Os turistas, por exemplo, terão até 72 horas para deixar o município. Além disso, haverá o fechamento das atividades econômicas da cidade. A justificativa é o “aumento expressivo no número de novos casos de covid-19”. A decisão se baseia num Termo de Ajustamento de Conduta celebrado com a Defensoria Pública em junho deste ano, e que, de acordo com o texto, não teria sido cumprido até o momento. O magistrado argumentou que Búzios encontra-se “com risco elevado de colapso da rede de saúde e necessidade de isolamento social completo”. A prefeitura estuda recorrer do lockdown, que prevê multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

-Publicidade-

De acordo com a Justiça, fica proibida, por prazo indeterminado, a entrada de visitantes em Búzios — somente morador ou quem trabalha na cidade será liberado. Também está proibida a entrada de veículos de transporte de passageiro por aplicativo, ônibus e vans intermunicipais e táxis. Não é permitido ficar nas praias, praças e demais locais públicos. Estão suspensos os eventos privados que “gerem aglomeração”, como a realização de cultos religiosos, festas, bailes, shows, feiras e similares. O comércio só poderá funcionar para delivery, exceto farmácias e mercados. Hotéis, pousadas, pensões, hostels, apartamentos de alugueis de temporada e similares não devem realizar novas hospedagens e/ou reservas a partir de hoje. Além disso, os hotéis que tenham hóspedes em seus estabelecimentos têm o prazo de 72 horas para suspender as atividades e desocupar os quartos.

Leia também: “O erro do lockdown”, artigo publicado na edição n° 14 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários

  1. Ditadura do Judiciário até nos municípios? Esse juiz merece ser destituído por abuso de poder. Ele por acaso é médico? Ele tem seu salário cortado quando ocorre o fechamento de tudo?

    1. Já não basta os ditadorzinhos de merda, agora o judiciário, lacrando e lascando o povo! CANALHICE! Bando de vagabundos. “Tribunal do Crime”!
      O “direito de ir e vir”, já era!
      “Há uma podridão no cerne das instituições…….e cabe a nós fazer a diferença.”. Se não formos pra cima dessa gente, estaremos fritos!

  2. Absurdo. As autoridades, seja do executivo, legislativo ou judiciário, ainda não aprenderam que não é com o lockdown que irão controlar a progressão da contaminação. Muito contrário a essas atitudes já está demonstrado que o
    lockdown não evita contaminações. Legisladores, chefes do executivo e juízes BURROS ou TENDENCIOSOS !!!

    1. Quando Búzios falir e virar zona de homizio, quero ver como vai ser. Esse juizeco de m…a vai resolver o problema dos moradores que passarão fome com a quebra do município cuja fonte de renda principal é o turismo?

  3. E depois fica o Bolsonaro com essa de substituir o ministro do turismo, achando ele que é por falta de competência em colocar o setor em patamares produtivos. Olhem isso daí, os poucos turistas que ainda teimam em curtir as praias nas férias, sendo expulsos a pontapés pelo promotor ou juiz (sei lá, isso não importa) da cidade e ainda impondo um prazo exíguo para isso. Dá para acreditar num país deste, sem um executivo capaz de por um freio nisso daí? Quem irá investir neste setor, neste país?

  4. “De acordo com a Justiça, fica proibida, por prazo indeterminado, a entrada de visitantes em Búzios — somente morador ou quem trabalha na cidade será liberado.” A pessoa vai trabalhar em que, se a atividade principal da cidade está suspensa?

  5. É só em Búzios pq o Defensor e o Juiz querem passar suas Festas de Final de ano longe dessa gente que paga impostos que sustentam seus polpudos salários…

  6. Eu não entendo esse fetiche pelas praias que as autoridades tem, parece um teste para ver até onde vai a obediência servil de um povo. Se não reclamar vai ficar cada vez pior.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro