-Publicidade-

Pelo quinto dia consecutivo, libaneses fazem protestos contra o ‘lockdown’

'Hoje, não conseguimos nem mais assegurar o mais importante em nossa vida: o alimento', relata uma moradora do país
Os protestos acontecem em Trípoli, segunda maior cidade libanesa | Reprodução/Redes Sociais
Os protestos acontecem em Trípoli, segunda maior cidade libanesa | Reprodução/Redes Sociais
Os protestos acontecem em Trípoli, a segunda maior cidade libanesa | Reprodução/Redes Sociais

Pelo quinto dia consecutivo, as forças de segurança do Líbano entraram em confronto com manifestantes contrários ao ‘lockdown’ imposto pelo governo. Desde 14 de janeiro, o país está sob toque de recolher 24 horas por dia — apenas o comércio essencial, como supermercados e farmácias, está aberto. Metade dos libaneses vive abaixo da linha de pobreza. Os protestos acontecem em Trípoli, a segunda maior cidade libanesa, e já deixaram 300 feridos e um morto.

A costureira Fatima Hamedi fez um relato da situação para a Rádio França Internacional. “Já não podemos mais sair para comprar alimentos, não podemos mais trabalhar e assim trazer o mínimo necessário para casa”, contou, ouvindo o barulho dos tiroteios em Trípoli. “Agora estamos destroçados, uma ruína total. Hoje, não conseguimos nem mais assegurar o mais importante em nossa vida: o alimento.”

Leia também: “Coronavírus: com lockdown, Portugal é o país que mais registrou mortes por milhão de habitantes em janeiro”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês