-Publicidade-

Presidente do Tribunal de Justiça de MS defende volta ao trabalho e critica ‘palhaçada midiática fúnebre’

'Deixemos de viver conduzidos como rebanho para o matadouro', observou o magistrado
O presidente do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Contar | Fonte: Reprodução/TRE-MS
O presidente do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Contar | Fonte: Reprodução/TRE-MS
O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Contar | Fonte: Reprodução/TRE-MS

Na última sexta-feira, 22, o novo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), Carlos Eduardo Contar, defendeu o retorno ao trabalho para pôr fim ao que ele classificou de “palhaçada midiática fúnebre”.

Leia também: “Vacinação em massa garantirá o retorno seguro ao trabalho, afirma Guedes”

“Voltemos nossas forças ao retorno ao trabalho, deixemos de viver conduzidos como rebanho para o matadouro daqueles que veneram a morte, que propagandeiam o quanto pior, melhor”, observou o magistrado em seu discurso de posse. “Desprezemos pois o irresponsável, o covarde e picareta da ocasião que afirma ‘fiquem em casa’, ‘não procurem socorro médico com sintomas leves’, ‘não sobrecarreguem o sistema de saúde'”.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

21 comentários

  1. Lampejos de esperança na reconstrução dos valores éticos e morais do país. Ainda há juíses em Berlim, no Mato Grosso do Sul e no Brasil. Vez por outra encontramos alguns.

  2. Ele poderia ser transferido para o Amazonas para dar um jeito na “palhaçada midiática fúnebre”. Também poderia ir para o Ministério da Saúde e prover atendimento precoce no SUS . Aqui na minha cidade , no bairro mais próximo, uma UPA atende a mais ou menos 30 mil moradores de bairros vizinhos. As senhas são distribuídas até as três da tarde. Após este horário todos voltam para casa. Os que conseguem senhas são atendidos até às nove da noite, após este horário a UPA fecha e ninguém mais é atendido nem se tiver uma faca cravada no peito. Quando o médico pede uma tomografia do pulmão o calvário se reinicia: não tem tomógrafo na UPA e os exames marcados demoram dias, semanas e meses. Os médicos , sabendo do caos, já receitam antibióticos para todo mundo. No final do ano passado vários profissionais entraram em férias e não houve substituição. A lotação das UTI’s é de 95% , mesmo nos Hospitais particulares. Mais de 10% da população está com casos suspeitos e não há estrutura de atendimento casos os casos se confirmem. É fácil para um magistrado que deve ter atendimento médico dentro de seu tribunal pago com nossos impostos falar desta forma. Seria interessante ele vir para minha cidade e entrar na fila da UPA e sentir realmente quem é ” o irresponsável, o covarde e o picareta”.

      1. Obrigado pelo conselho. Na verdade o conselho mais adequado é: Mude deste país.

    1. Poxa, são dez meses de pandemia ! Nem tentaram usar medicamentos experimentais para o tratamento precoce das infecções? Ficaram aguardando as vacinas experimentais ? Os gestores locais têm que ser cobrados por esses fatos. Muitos municípios adotaram protocolos médicos experimentais, entre outras medidas, e estão conseguindo bons resultados. Inclusive, no Rio Grande do Sul um grupo de municípios assinou um termo de ajuste de conduta com o Ministério Público Federal daquela região para o fornecimento de remédios, que somente podem ser prescritos por médicos, e parece que houve a redução de internação e óbitos (bom para o sistema de saúde e para os pacientes).

    2. O tratamento precoce é de conhecimento público mas a maioria dos Estados escondem os medicamentos para ocasionar a morte das pessoas e com isso receber mais recursos. Bolsonaro estava certo desde o começo!

  3. A fala do juiz é de extraordinária importância num momento em q vivemos a guerra do bem contra o mal, na qual o mal tenta destruir nossa liberdade usando como ardil um vírus suspeito, oriundo de um país massacrado por um regime facínora. As vozes que defendem nossa liberdade são capitaneadas por Jair Bolsonaro, nosso presidente eleito e querido pelo povo, odiado somente pelos que desejam o caos e o fim das nossas tradições mais sagradas. A farsa de uma pandemia que nos levará à morte está esgotada. O que sobra são os interesses miseráveis de uma caterva política e contracultural que não se esconde nem sob o sol, nem sob a sombra. Faço coro com o juiz, voltemos ao trabalho fechados com Bolsonaro 2022!

  4. PARABÉNS AO EMINENTE JUIZ!!! É DE PESSOAS DESSE QUILATE QUE O PAÍS PRECISA COM URGÊNCIA!!! BOTOU O DEDO NA FERIDA!!! NO MEU ENTENDER, UM CANDIDATO IMBATÍVEL PARA A FUNÇÃO DE MINISTRO DO SUPREMO!!!

  5. Não existe liberdade nem democracia sem homens e mulheres, lúcidos, fortes e corajosos. Chega de Estado tratando os cidadãos como se fossem débeis mentais, que não sabem cuidar da própria vida! Quem não quiser sair de casa para trabalhar ou ir à escola que não vá, mas proibir que os demais decidam ir é um absurdo. Correr seus próprios riscos é um direito de cada um.

    No início da pandemia de covid-19 fazia sentido parar um pouco para que o Estado se estruturasse para enfrentá-la. Quase um ano depois de terem recebido bilhões de reais, muitos estados e municípios não fizeram quase nada e o dinheiro “sumiu”. Belo Horizonte é um exemplo clássico disso.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês