‘Segui as recomendações do Mandetta e quase morri’, afirmou Janaina Paschoal

'O que que o ministro dizia? Fique em casa, não procure um hospital', lembrou a parlamentar
-Publicidade-
Janaina Paschoal: fora do páreo para a prefeitura paulistana | Foto: GERALDO MAGELA/AGÊNCIA SENADO
Janaina Paschoal: fora do páreo para a prefeitura paulistana | Foto: GERALDO MAGELA/AGÊNCIA SENADO | Janaína Paschoal
Janaína Paschoal
A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) | Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Ontem, segunda-feira 18, durante uma entrevista concedida ao canal do YouTube My News, a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) fez críticas à imprensa e revelou que quase morreu por ter seguido as orientações dadas por Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde, de não ir ao hospital no aparecimento dos primeiros sintomas da covid-19. A parlamentar já havia falado sobre isso no programa Direto ao Ponto, da rádio Jovem Pan.

-Publicidade-

“Não tô ditando receita para ninguém”, afirmou Janaina. “O máximo que eu posso fazer é dar o meu testemunho: eu segui o Mandetta e quase morri. O que que o Mandetta dizia? Fique em casa, não procure um hospital. Foi o que eu fiz. No 16º dia de sintomas eu fui carregada, não consegui sequer andar.”

Janaina disse que a orientação dada pelo ex-ministro estava errada e que a imprensa não reconhece que o presidente Jair Bolsonaro, nesse caso, estava correto. “A orientação primeira para ficar em casa estava errada, e não tem uma alma para fazer uma reflexão e assumir o erro dessa informação”, apontou Janaina. “E aí, como é o governo do Bolsonaro — e vocês são testemunhas de que eu o critico direto —, querem demonizar o presidente até quando ele acerta.”

Leia também: “Anticorpos contra o coronavírus ficam mais eficientes 6 meses depois da primeira infecção”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comments

  1. O Ministério da Saúde publicou um Tweet informando a população para que procure uma unidade de saúde ao sentir os primeiros sintomas, de modo que se inicie um tratamento precoce. A grande imprensa está há três dias fazendo bagunça dizendo que tratamento precoce não tem comprovação científica. Meu Deus, como são canalhas!!! Tratamento precoce, logo no início da doença, é o que aumenta as chances de cura permite que o indivíduo passe pela doença sem maiores problemas, tomando os remédios que estão sendo utilizados e vem salvando vidas.
    Se a grande imprensa acha errado o tratamento precoce, então eles ainda acham que o correto é o indivíduo procurar o hospital quando já estiver sentindo falta de ar. 1000 vezes canalhas!!!

  2. Não sou defensor deste e de nenhum Ministro, mas é salutar ao diálogo a honestidade das afirmações e suas contextualizações, caso contrário ficam carecendo de entendimento e acabam por esparramar notícias que não correspondem a realidade. Essa afirmação foi feita sim pelo Ex Ministro bem no início dos casos , quando na verdade o primeiro caso foi diagnosticado em um paciente vindo da Itália. Neste momento foi que ele disse para que as pessoas aguardassem em casa para “não sobrecarregar o sistema de saúde” com casos que poderiam ser de outras patologias já conhecidas dada a similaridade dos sintomas da COVID com as doenças já existentes. Nessa mesma fala – que Janaína Pascoal omitiu- o Ex ministro disse literalmente que : “Elas devem informar imediatamente caso tenham sintomas, para que o Brasil possa se proteger”. Gosto muito da Janaina e votaria nela se tivesse oportunidade , por tudo que ela fez e representa, mas neste caso houve um equívoco de interpretação ou uma colocação fora de contexto. Só para lembrar uma declaração da Deputada logo quando saiu do Hospital “Eu defende o isolamento e se disse contrária à atitude do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que disse que a doença é uma “gripezinha”.

  3. Corrigindo: “Eu defendo o isolamento e sou contrária à atitude do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que disse que a doença é uma “gripezinha”.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site