Tecido anti-covid tem eficácia comprovada

É o que avisa laboratório do Rio de Janeiro
-Publicidade-
Tecido promete ajudar no combate ao novo coronavírus | Foto: REPRODUÇÃO/RECORD TV
Tecido promete ajudar no combate ao novo coronavírus | Foto: REPRODUÇÃO/RECORD TV | tecido anti-covid - latev

É o que avisa laboratório do Rio de Janeiro

tecido anti-covid - latev
Tecido promete ajudar no combate ao novo coronavírus | Foto: REPRODUÇÃO/RECORD TV

Além de aguardar o avanço de trabalhos com vacinas, a luta contra a covid-19 pode ganhar o auxílio de mais um tipo de tecido. Na tarde desta quarta-feira, 22, o Laboratório de Tecnologia Virológica (Latev) de Bio-Manguinhos, no Rio de Janeiro, avisou que testes realizados com o material de “propriedades antivirais” comprovaram a eficácia contra o novo coronavírus.

-Publicidade-

Leia mais: “Ministro da Cidadania também se trata com hidroxicloroquina

De acordo com a equipe responsável pela pesquisa, um dos tipos de materiais testados conseguiu combater 99,9% das partículas virais da covid-19. Fora a questão relacionada à doença responsável pela pandemia, o tecido em questão também se mostrou eficaz diante dos vírus da caxumba e do sarampo. No caso relacionado ao novo coronavírus, o produto “matou” as partículas em um minuto.

“Essa parte de tecido é totalmente nova para a gente”

Chefe do Latev, que é mantido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Sheila Maria Barbosa de Lima comemora os resultados obtidos a partir dos testes. Ela destaca, entretanto, que trabalhar com pano é uma novidade para a sua equipe. “Nosso desenvolvimento tecnológico aqui trabalha na frente de vacinas, kits diagnósticos, fármacos. Essa parte de tecido é totalmente nova para a gente”, diz a pesquisadora.

Grifes anti-covid-19

Ainda de acordo com os pesquisadores do projeto, o material em questão foi desenvolvido a partir de variações de prata, zinco e compostos orgânicos, o que o torna biodegradável. Com testes animadores, a equipe do Latev planeja usá-lo primeiramente no ambiente hospitalar. Assim, ideia é produzir máscaras e aventais para profissionais da saúde.

Dessa forma, o Brasil passa a contar com dois tecidos diferentes para ajudar no combate à disseminação da covid-19. Conforme noticiado por Oeste no início do mês, material desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFScar), no interior de São Paulo, também promete eliminar 99,9% do novo coronavírus. A exemplo do projeto fluminense, o da UFScar já mira a produção de jalecos.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.