Covas antecipa feriados e estende horário do rodízio em São Paulo

Prefeito confirmou que a cidade registrou a primeira morte de uma pessoa com covid-19 por falta de leito disponível de UTI
-Publicidade-
Bruno Covas anunciou novas medidas para conter o avanço do vírus na capital paulista
Bruno Covas anunciou novas medidas para conter o avanço do vírus na capital paulista | Foto: Governo do Estado de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta quinta-feira, 18, a antecipação de alguns feriados na capital paulista, em mais uma tentativa de frear a escalada de infecções e mortes por covid-19.

Em entrevista coletiva, o tucano informou que dois feriados municipais de 2021 e pelo menos um de 2022 serão antecipados. Com isso, o recesso vai começar na sexta-feira 26 e seguir nos dias 29, 30, 31 de março e 1º de abril, emendando com a Sexta-Feira Santa.

-Publicidade-

Leia mais: “Prefeitura de São Paulo suspende aulas e anuncia aumento de leitos para covid-19”

Os feriados antecipados são Corpus Christi (3 de junho), o Dia da Consciência Negra (20 de novembro) e o aniversário de São Paulo (25 de janeiro). Com as modificações no calendário, a cidade terá uma sequência de dez dias de recesso.

Além disso, Covas e o governador paulista, João Doria (PSDB), analisam a possibilidade de antecipação do feriado estadual de 9 de julho (Revolução Constitucionalista de 1932). “Esperamos, com isso, que as pessoas entendam que este é um momento de ação coletiva contra o coronavírus”, disse o prefeito.

Leia também: “Repasse milionário de Covas a blocos e escolas de samba entra na mira do MP”

Também haverá modificações no rodízio de veículos na capital. A partir de segunda-feira 22, a restrição aos carros passará a valer das 20h às 5h — mesma faixa de horário do toque de recolher instituído pelo governo do Estado —, e não mais das 7h às 10h e das 17h às 20h. O novo horário valerá, em princípio, por duas semanas.

Covas confirmou que a cidade registrou a primeira morte de uma pessoa com covid-19 por falta de um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Trata-se de um jovem de 22 anos que estava internado em um hospital do bairro de São Mateus, zona leste da capital. De acordo com a prefeitura, São Paulo tinha, até quarta-feira 17, 395 pacientes aguardando a liberação de leitos de UTI.

Leia também: “A paciência acabou”, artigo de Augusto Nunes e Silvio Navarro publicado na Edição 41 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.