Covid-19: Remdesivir pode custar R$ 17 mil por paciente

Preço foi anunciado nos EUA em junho de 2020
-Publicidade-
Remdesivir
Remdesivir | Foto: Divulgação/Flickr

Nesta sexta-feira,12, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou o Remdesivir para ser utilizado no tratamento contra a covid-19. Em junho do ano passado, o laboratório Gilead Sciences, que desenvolveu a fórmula, informou o valor de seu produto a ser praticado nos Estados Unidos. Aos usuários de planos públicos de saúde, o custo do medicamento para tratamento foi anunciado por US$ 2.340,00 e, no setor privado, a conta ficaria em US$ 3.120,00. De acordo com a cotação atual da moeda norte-americana, essas quantias equivalem, respectivamente, a R$ 13.076,85 e R$ 17.435,00.

No Brasil, o medicamento deve usado em casos de pneumonia de pacientes adultos e adolescentes com mais de 40 quilos hospitalizados com a covid-19.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. O que adianta investir num medicamento, que ninguém pode comprar? Abandona essa coisa e vamos de soro, pesquisado pelo Butantã. Deve ser mais barato e mais eficiente.

  2. Este é mais um encargo que querem jogar para o Governo Federal ou seja, nós contribuintes pagarmos. Todos sabem que as decisões judiciais criam enormes desembolsos ao SUS com medicações e tratamentos caríssimos e indisponíveis no Brasil, quando muitas vezes não tem sequer suprimentos básicos para a maioria da população brasileira.
    Ora, em momento de tão grave dívida publica e sanitária, por que as ricas instituições privadas não arcam com a comercialização desse medicamento nas classes mais abastadas e com a doação ao SUS de no mínimo 50% desse produto? Como disponibilizar tal produto para toda a população que for indicada sua prescrição neste vasto e pobre Brasil que sequer tem saneamento básico?. Se nada mudar nos princípios morais das autoridades, posso entender que mais uma vez os mais beneficiados serão aqueles que poderiam oferecer ajuda aos mais necessitados neste pais, que provavelmente não receberão essa medicação.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.