Covidão: CGU já detectou potenciais prejuízos da ordem de R$ 44,1 milhões

Em sete operações, o órgão de controle já contabilizou desvios em compra de equipamentos médicos
-Publicidade-
ITA - CORONAVÍRUS/ITÁLIA - INTERNACIONAL - Médicos cuidam de pacientes infectados   com o novo coronavírus (COVID-19) na   Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do   Hospital Casalpalocco, em Roma, na   Itália, neste sábado, 11 de abril de   2020.    11/04/2020 - Foto: CECILIA FABIANO/LaPresse/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO
ITA - CORONAVÍRUS/ITÁLIA - INTERNACIONAL - Médicos cuidam de pacientes infectados com o novo coronavírus (COVID-19) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Casalpalocco, em Roma, na Itália, neste sábado, 11 de abril de 2020. 11/04/2020 - Foto: CECILIA FABIANO/LaPresse/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

Em sete operações, o órgão de controle já contabilizou desvios em compra de equipamentos médicos e superfaturamentos na aquisição de EPIs

Durante sete operações desencadeadas nos meses de abril e maio deste ano em conjunto com a Polícia Federal e Ministérios Públicos, a Controladoria Geral da União (CGU) já detectou potenciais prejuízos da ordem de R$ 44,1 milhões nas aquisições de equipamentos médicos para combater a pandemia de coronavírus no País.

-Publicidade-

Estas operações foram deflagradas na Paraíba, Amapá, Distrito Federal, São Paulo, Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco. O volume de recursos desviados deve ser bem maior, já que há uma força-tarefa desencadeada pelo Ministério Público Federal (MPF) nos Estados e que devem resultar em novas operações da Polícia Federal nos próximos dias.

De acordo com a CGU, as irregularidades incluem superfaturamento na aquisição de equipamentos de proteção individual (EPI), inexistência de controle de estoque de medicamentos, sobrepreço na compra de equipamentos e empresas sem capacidade técnica e operacional para o fornecimento dos produtos contratados, entre outras.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.