Empresário suspeito de operar esquema de pirâmide é detido

Cerca de três mil pessoas foram lesadas; prejuízo chega a R$ 170 milhões
-Publicidade-
Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo | Foto: Reprodução/TV Globo

Cerca de 3 mil pessoas foram lesadas; prejuízo chega a R$ 170 milhões

empresário
O empresário Jonas Jaimovick foi preso na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro
Foto: Reprodução/TV Globo

A polícia do Rio de Janeiro prendeu nesta segunda-feira, 9, o empresário Jonas Jaimovick, dono da JJ Invest. Ele supostamente opera o maior esquema de pirâmide no país, que lesou 3 mil pessoas. Entre as vítimas estão membros da comunidade judaica carioca, artistas de televisão, ex-jogadores e celebridades do futebol, como Zico e Júnior. Conforme a Justiça, o prejuízo dos investidores gira em torno de R$ 170 milhões.

-Publicidade-

Além de Jaimovick, sete pessoas foram indiciadas. Os acusados ofereciam aos investidores uma rentabilidade de 10% a 15% mensais. O esquema de pirâmide depende do recrutamento de outras pessoas, a despeito do produto ou do serviço oferecido. O lucro não vem das vendas, mas das taxas pagas por quem entra no sistema, com os novos associados remunerando os antigos. Em dado momento, o negócio se torna insustentável.

Leia também: “Governo socialista de Portugal impõe toque de recolher”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.