Entidade pede exclusão de Moro da advocacia

Pedido se baseia em decisão do STF sobre o ex-juiz
-Publicidade-
O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro
O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro | Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia deseja excluir Sergio Moro da advocacia. Na terça-feira 4, a entidade ingressou com o pedido na seção do Paraná da Ordem dos Advogados do Brasil. O texto alega que o ex-juiz não tem idoneidade para exercer a profissão.

Assinada por 21 advogados, a peça jurídica se baseia na decisão do Supremo Tribunal Federal que considerou parcial a atuação de Moro na ação que envolve o tríplex do Guarujá e o ex-presidente Lula.

-Publicidade-

Leia também: “Farra na republiqueta”, reportagem publicada na Edição 51 da Revista Oeste

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comments

    1. Querer penalizar alguém por uma decisão do STF é algo absurdo. Aliás, o fato de ser condenado pelo STF deveria ser encarado como prova de idoneidade do acusado.

  1. Só pode ser outra molecagem de esquerdistas essa ação contra o Moro. LULA tá livre pra ROUBAR À VONTADE, abençoado pelo STF, mas a criançada quer mais. A extinção do Moro é o foco dos canalhas.

  2. Piada… os senadores ladrões estão na CPI da Covid e a esquerdalha da OAB quer perseguir Sérgio Moro. Isso que dá um homem que fez um trabalho de excelência na lava jato, se prostrar aos pés dos opositores do presidente. Jogou a biografia que ele tanto alegou na sua saída, pelo ralo.

  3. 1º esse tal “coletivo” é composto por 21 advogados/advogadas que representatividade eles face o número de advogados do pais? creio que em torno de 0,00000%
    2º quem deveria ser proibido de julgar é o Gilmar Mendes “et caterva” principalmente a Carmen Lúcia que, sem nenhum fato novo mudou o voto prolatado a mais de 2 anos.
    3º o julgamento (se é possível dizer que aquela farsa foi julgamento) foi um recado claro aos juízes de instância inferiores, não ousem mexer com os corruptos de estimação do STF.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site